Aprenda astrologia melhor e mais fácil

O estudo da astrologia parece muito complexo para quem começa, mas quando ele é feito de maneira gradual, lógica, sistemática e passo a passo não é complicado. É como se você estivesse aprendendo a falar uma língua e compreendesse aos poucos o que é verbo, sujeito e predicado. 

A complicação começa se você troca de um curso para outro ou estuda sozinho, sem cumprir as etapas necessárias no currículo astrológico antes de ir adiante. 

Ao fazer toda sequência de estudos, do básico –  os signos, suas características e traços; planetas – as faculdades da alma ou eventos gerados por ele; as casas astrológicas – áreas da vida onde as coisas acontecem; ao intermediário – a posição de um signo ou planeta numa casa, depois a junção dos signos, planetas e áreas da vida, os diálogos dos planetas e suas funções planetárias, aspectos, a ligação entre as casas por regência; até finalmente o avançado, período no qual você lida diretamente com as técnicas de previsão. O estudo astrológico, dessa forma, é concatenado e, por isso, fácil de ser compreendido!

O Curso de Formação Online da Cia dos Astros é o único curso que oferece essa sequência, do básico ao avançado, em astrologia! Tudo isso de forma costurada e ordenada, facilitando o seu aprendizado!

MAIS VANTAGENS EM ESTUDAR COM A CIA DOS ASTROS 

💜 Formação completa dividida em módulos

💜 Materiais complementares

💜 Bônus que enriquecem seus estudos

💜 Webinários para responder suas dúvidas

Clique aqui e faça sua inscrição: https://ciadosastros.com.br/ 

Céu de Novembro

Vênus ingressou no signo de Sagitário no final do dia 1º, favorecendo o interesse por viagens e tudo aquilo que possa ampliar os nossos horizontes.

É bom ter certo cuidado com discussões e precipitações até o dia 06/11, pois Marte e Plutão estão em pé de guerra. Além disso, é bom evitar também ações obsessivas e destrutivas, porque arrependimentos podem surgir.

Logo a seguir, uma série de aspectos positivos ocorrem, é hora de aproveitar essas janelas de oportunidades que o céu proporciona. Primeiro, o Sol receberá boas influências de Saturno e Netuno, simultaneamente, de 7 a 09/11. Isso facilitará os nossos planos, permitindo uma dose dose de intuição, coincidências positivas e êxito!

Plutão também empresta energias poderosas a Mercúrio entre 9 e 10/11, será um período muito positivo para falar em público com autoridade e poder de influência aos outros.

Não deixe de aproveitar o período de 10 a 14/11, quando Marte e Júpiter permitirão uma energia extra para tudo que  precisarmos, seja numa atividade ou competição física, seja para resolver alguma questão emperrada há muito tempo.

No dia 11/11 você ainda poderá contar com Sol e Mercúrio em conjunção, o que significa maior facilidade de comunicação, busca de informações, contatos e de raciocínio rápido. Como Mercúrio ainda estará retrógrado nesse dia, é um excelente período para rever questões e documentos que estavam esquecidos ou pendentes.

Em seguida, de 12 a 14/11 Saturno dá uma força a esse Mercúrio para revermos textos e documentos também. Sol e Plutão em harmonia de 12 a 14/11 será um período muito benéfico para lidar com pessoas poderosas ou com questões financeiras.

Netuno pode causar algumas complicações entre os dias 13 e 14/11. Embora esse planeta fique em harmonia a Mercúrio, facilitando a comunicação não verbal e mais intuitiva, também será um período de quadratura com Vênus, o que pode dificultar a tomada de decisões referentes a dinheiro e gastos. O período também pode gerar paixões e encantamentos completamente desalinhados com a realidade. Sobre essas questões afetivas, ainda há Vênus conjunto a Júpiter (23 a 25/11), quando a busca por prazeres ficará intensificada. Cuidado com os gastos excessivos!

Um alerta para o período entre 23 e 26/11, quando Marte e Urano em desalinho podem provocar mudanças bruscas nos rumos dos acontecimentos, atitudes impensadas, precipitadas e até acidentes.

Marte entra no signo de Escorpião em 19/11. Como esse planeta é o regente clássico de Escórpio, ele se sente em casa, poderoso e forte. Até 03/01/2020 ele nos proporcionará maior libido, desejo sexual, assim como ações e iniciativas bem estratégicas e efetivas. 

O momento é de reunir todas as forças e concentrá-las intensamente num único ponto. Assim, a ação será ainda mais poderosa!

O Sol ingressa no signo de Sagitário em 22/11, nos injetando otimismo e fé. Ir além, ousar, ampliar os horizontes e viajar são atividades que estarão favorecidas até 22/12.

O mês termina de maneira bem bacana e satisfatória! Entre 27 e 29/11 Mercúrio se harmoniza a Netuno e Saturno, e Vênus a Urano. É um bom período para tomar as decisões certas com uma boa dose de intuição. Além disso, a vida social e afetiva tende a ficar saborosamente agitada!

7 dicas para aprender astrologia

Muitas pessoas questionam a facilidade ou dificuldade em se aprender Astrologia, acreditando que é um estudo muito hermético. Outros acreditam que é algo muito fácil. Estes, geralmente, leem um livro durante um mês e já se consideram astrólogos, acham que ganhar dinheiro nesse ramo é fácil, dando aula, principalmente na internet, sob a justificativa de que a Astrologia não é um estudo legítimo ou genuíno.

A boa Astrologia é aquela que funciona e, nesse aspecto, é importante atingir resultados. A finalidade deve ser a de  demonstrar que a prática realizada por astrólogos realmente funciona, não apenas na resolução de problemas do dia a dia, mas também na compreensão de problemas internos e expressões comportamentais, por um viés mais psicológico. A seguir, confira algumas dicas para estudar astrologia!

1) Como aprender astrologia?

Existem muitas maneiras de aprendê-la! Nos anos 80 e 90, por exemplo, o estudo autodidata era muito comum. Claro que, mais adiante, essas pessoas tiveram que se aperfeiçoar, mas é um dos caminhos possíveis, principalmente a partir da troca com outros astrólogos mais experientes nessa jornada. Isso pode ser feito através da leitura de livros, palestras e internet. Por outro lado, o grande desafio nesse caminho é conseguir unir tudo isso de forma sequencial sem ficar confuso em relação às múltiplas possibilidades.

Dessa forma, fazer um curso já montado previamente por astrólogos experientes pode ser a melhor opção para entender os conceitos de forma clara e sequencial.

2) Astrologia na internet: vídeos gratuitos

Claro que é possível aprender diversos conteúdos de forma esporádica, mas caímos sempre na questão do aprendizado sequencial. Evidentemente, depois de assistir um conteúdo ou outro, faltarão pedaços importantes na compreensão de determinado assunto ou tema. O estudo orientado e aprofundado é o ideal!

É importante destacar a necessidade da leitura específica do mapa natal, o que não ocorre em vídeos genéricos. Por isso, é comum que algumas pessoas não se identifiquem com as características do seu signo solar. Uma leitura aprofundada é essencial, portanto, na compreensão de qualquer conceito na Astrologia. Cada caso é um caso!

Assim como os vídeos na internet, a função dos antigos jornais e revistas de horóscopo também tem sua relevância, e disponibilizam boas informações, mas se você realmente pretende estudar a Astrologia e utilizá-la para si, para seus projetos pessoais e profissionais, o recomendado é um curso. É preciso, então, sempre comparar e confrontar esses materiais com a prática que você tem: caso a caso, ao verificar as configurações astrológicas no mapa individual ou ao verificar uma situação coletiva.

3) A necessidade de leitura

Para estudar Astrologia é fundamental que haja uma leitura aprofundada e a familiaridade com a forma como os conceitos são abordados pelos mais diversos astrólogos, mesmo que conflitantes. Isso ajuda você a fazer uma síntese própria!

Ninguém consegue memorizar tudo só de ouvir, apenas pessoas realmente diferenciadas. Por isso, as diferentes possibilidades de leitura são importantes para atingir a excelência no conhecimento. Então, se você vai estudar Astrologia, não adianta apenas ouvir o que astrólogos consagrados dizem a respeito de determinados assuntos e sair por aí repetindo como um papagaio o que eles disseram. Sabemos que cada caso é um caso e uma pessoa de Áries pode ser tanto agressiva quanto um doce de pessoa, depende muito da configuração do mapa. É como analisar uma impressão digital!

Por isso, outra característica importante para quem deseja estudar Astrologia é gostar de ler. Do contrário, essa pessoa será um astrólogo muito superficial.

4) Funcionamento distinto das chamadas ciências exatas

A Astrologia não funciona da mesma maneira que as chamadas ciências exatas. Há diferentes manifestações para uma mesma situação, como a mencionada anteriormente sobre Áries. 

Uma pessoa com Saturno na casa 10, por exemplo, pode ter várias experiências de fracasso e outra pessoa, por sua vez, pode ter um ou duas delas e depois comandar grupos de pessoas com mãos de ferro ou certa tolerância. Tudo isso depende do restante do mapa! Não há uma receita de bolo para as diferentes nomenclaturas. É muito mais fácil fazer a comparação de diferentes perspectivas como um todo, ou seja, através do mapa natal. Entender em partes é entender superficialmente e, dessa forma, não é o suficiente para um bom astrólogo.

5) O tempo e a variedade na Astrologia

O tempo e a variedade da aplicação dos conceitos em diferentes casos é fundamental. Quando você obteve sucesso numa determinada interpretação não há garantia de que ocorra o mesmo em outras situações. 

É mais fácil sedimentar suas convicções com a prática de lidar com a outra pessoa, oferecendo a chance dela se expressar e, com o tempo da consulta, mostrar que o que ela disse diz respeito justamente a uma característica que você mencionou anteriormente, no começo do seu atendimento.

Dê tempo a si mesmo para captar todas as nuances e absorver a profundidade e experiência conforme a sua própria linguagem. Em seis meses de estudo, apenas, isso não é possível.

6) Nenhum sistema é superior a outro

Não caia no erro de achar que determinado sistema ou autor é superior a outro. O domínio de cada modo de aplicar a Astrologia é o que importa na hermenêutica!

Tente fazer um contraponto entre os diferentes materiais, porque sempre haverá algo de pertinente e não desqualifique o estudo que alguém demorou décadas para fazer e concluir. É como se fosse um idioma, o português, o inglês, o espanhol e outros funcionam e isso é que importa!

Em astrologuês, sistemas diferentes podem atingir o mesmo resultado. O símbolo ultrapassa a linguagem utilizada!

7) Treine muito, tenha dúvidas, não seja preconceituoso

Esteja aberto às diferentes formas de visão! Leia de tudo, seja informado, mergulhe em diferentes ciências reconhecidas: filosofia, história, antropologia, física, geografia, geologia e em tudo que puder, não apenas para ter uma linguagem adequada, mas também para que você possa repensar algumas das suas certezas!

Lembre-se que o conhecimento que dá resultado é aquele que sintetiza contrapontos. Isso garante uma leitura de mapa natal muito boa e de mundo, melhor ainda. 

Curtiu esse conteúdo? Fique de olho nos próximos posts e conheça o nosso Curso Online de Formação em Astrologia: https://ciadosastros.com.br/ 

O significado das casas astrológicas: 4 a 6

A casa 4 está na parte mais inferior do mapa, ou seja, é o fundo do céu. O Sol nasce no Ascendente, sobe até chegar no meio do céu, e depois se põe no Descendente. Portanto, tudo que está acima da linha do horizonte diz respeito ao que é externo ou público (iluminado pelo Sol), enquanto tudo que está abaixo (casas 1 a 6) refere-se a questões não públicas ou íntimas. Essas informações são levadas em consideração ao estudarmos os significados das casas astrológicas.

Quanto mais embaixo a casa no mapa, mais ligada à nossa intimidade ela será. Como a casa 4 é a mais baixa, ela é com certeza a mais íntima também. Como numa árvore, essa casa tem a ver, em primeiro lugar, com as nossas raízes, de onde viemos e para onde vamos – nossos antepassados, família, início e final da vida. Ela se relaciona às questões familiares, origens e tudo que antecedeu a existência de cada um de nós. A família oferece o sentimento de pertencimento e proteção diante da fragilidade humana. Esse senso de proteção é o nosso clã, nossa origem. Analogamente, a casa 4 também significa família no sentido de útero – de onde vim e como me sinto abrigado, protegido do ambiente externo. Além disso, essa casa está ligada à nossa intimidade. Todo mundo tem coisas que só compartilha com familiares ou amigos muito íntimo, ou nem compartilha porque é íntimo demais. Essa intimidade, esse momento de ‘estar com os botões’, lá no fundinho, também é a casa 4.

Você já deve ter ouvido falar que a casa 5 tem a ver com os filhos, mas por que será? Basta pensarmos no DNA que pais e filhos carregam. É muito comum que pais se vejam nos seus filhos e vice-versa, tanto nas características físicas quanto comportamentais, como o jeito de falar. Essa casa astrológica também está ligada à criatividade e, portanto, aos filhos e qualquer coisa autoral. Aquilo que você cria e ninguém consegue fazer diferente, como um filho, um livro, uma pintura, uma característica só sua. Por isso, a Casa 5 é uma forma de autoexpressão, algo extremamente individual. Tudo que você cria do jeito que só você sabe fazer diz respeito a ela. O seu filho tem o seu jeito, assim como o livro que você assina e qualquer coisa que você faça. Dessa forma, a casa 5 é também uma casa de poder pessoal e autoafirmação, já que suas características o diferenciam dos demais e são únicas. Além disso, essa casa tem a ver com prazer, diversão, jogo e riscos. Correr o risco, e se dar bem ou mal na paquera, por exemplo, faz parte dessa casa astrológica.

A casa 6, por sua vez, diz respeito à vida ordinária, enquanto a 12 se refere à vida extraordinária ou que está fora de ritmo ou de funcionamento. Falaremos mais sobre ela em breve! Essa casa, então, diz respeito a tudo aquilo que está dentro do eixo da vida e tem uma analogia com o signo de virgem, que é a funcionalidade. A vida ordinária, dessa forma, funciona com rotina e ritmo, DI-A-RIA-MEN-TE. Uma casa 6 bem resolvida proporciona uma vida cotidiana organizada, com ritmo, horários, cadência, fazendo com que as coisas funcionem e a vida seja produtiva. Além disso, essa casa astrológica tem a ver com a saúde e com os hábitos. O que faz todo sentido, já que nossos hábitos são diretamente responsáveis pelo nosso estado de saúde (tanto para o bem como para o mal). Maus hábitos, então, geram doenças crônicas, enquanto bons hábitos geram boa saúde na casa 6.

Curtiu esse post e ficou curioso sobre as casas astrológicas? Fique de olho nos próximos posts e conheça o nosso Curso Online de Formação em Astrologia: https://ciadosastros.com.br/ 

Signos Interceptados

Os signos interceptados fazem parte de um tema muito controverso, já que muitas pessoas o confundem com casas e planetas interceptados.

Vale lembrar que a interceptação de um signo dentro de uma mandala astrológica depende do sistema de casas utilizado na interpretação. Dessa forma, ao mudar o sistema de casas, pode ser que não haja um signo interceptado. É o que acontece, por exemplo, quando você usa o sistema de casas iguais, ou seja, um sistema no qual as casas astrológicas são mantidas do mesmo tamanho.

É sempre o eixo do zodíaco que é interceptado. Por isso, sempre que você tem um signo interceptado, o outro que corresponde ao seu oposto no eixo também estará. Veja a relação de interceptações na imagem/legenda abaixo:

Imagem: relação de interceptação entre os signos

As pontas das casas astrológicas são ocupadas por um signo e início de outro. O signo interceptado é um signo que se encontra inteiro numa casa, mas sem ocupar suas cúspides. Não existe casa ou planeta interceptado!

O signo interceptado representa virtudes, qualidades, traços, características dos dois signos interceptados no mapa natal que o indivíduo não acessa, compreende, sente ou experimenta. Para entender melhor essa relação basta verificar no seu mapa natal os signos e planetas presentes. Você vai perceber como existe uma relação íntima com as qualidades deles, na forma como você lida com elas e, principalmente, como você as sente. Por outro lado, os signos e planetas que não estão presentes representam uma relação de distanciamento, de pouco contato e significação.

Agora imagine um signo interceptado, ou seja, uma área da vida de abstração. É possível acessá-la intelectualmente, mas na hora de experimentá-la ela escapa por entre os dedos. O sentimento que surge é o de que você não sabe lidar com aquelas qualidades. Uma pessoa que tem Áries e Libra interceptados, por exemplo, tanto do lado de tomar iniciativa (Áries) quanto de ponderar (Libra) sente dificuldade de experimentar essas características ou qualidades na prática. A relação que se forma, então, é a de abstração. Como a que surge ao falar de um lugar que você nunca visitou, só leu a respeito.

Curtiu esse tema? Ele é um dos assuntos estudados no Curso Online de Formação em Astrologia da Cia dos Astros, o mais completo sobre esse universo e feito de forma totalmente online, no seu ritmo e onde você estiver: https://ciadosastros.com.br/

Céu de Outubro

No início do mês vivemos sobre a quadratura de Vênus e Plutão, que teve início no dia 30/09 e terminou na noite do dia primeiro. Evite os ciúmes e os investimentos arriscados, pois o céu não está favorável para essas coisas!

Marte passa pelo signo de Libra do dia 04/10 a 19/11, esse é um período favorável para tomar iniciativas de conciliação e resolução de conflitos. Isso acontece porque fica mais fácil se colocar no lugar do outro e entender, assim, seus medos e fraquezas, facilitando as ações diplomáticas em que ambos devem ceder em prol de um benefício em comum.

O ganha-ganha pode trazer mais benefícios nesses dias do que a simples imposição a qualquer custo. Por outro lado, é importante ter atenção ao período de 03/10 a 9/12, quando Mercúrio passa pelo signo de Escorpião. Inclusive, ele fica retrógrado entre 31/10 a 20/11, trazendo um clima de desconfianças mútuas e busca de significados velados no que é dito.

Vênus também passa pelo signo de Escorpião entre os dias 08/10 e 11/11, levando essas desconfianças para o campo afetivo. Não exagere na dose, porque o gosto pode não ser bom!

Entre os dias 06 e 07/10, Mercúrio e Urano em tensão podem criar boas oportunidades à busca de informações e pesquisas técnicas, mas é bom evitar a ansiedade e manter o foco, anotando as ideias que surgirem para não desperdiçar os insights.

Sol e Saturno se atacando de 6 a 08/10 pode produzir um excesso de crítica, levando a um descarte de boas ideias eventualmente. Porém, entre 12 e 14/10, elas podem surgir por causa das facilidades que Sol e Júpiter podem nos proporcionar.

Vênus, que se opõe a Urano entre 12 e 13/10, pode afetar as relações afetivas e sociais neste período. Podemos buscar muito mais excitação e novidade!

Como Vênus está em Escorpião, a dica é evitar excesso de controle e ciúmes. Isso pode gerar tensão desnecessária! 

Mercúrio faz bons aspectos com Saturno e Netuno entre os dias 13 e 15/10 e, depois, entre 14 e 16/10. Pelo lado de Saturno é um excelente período para trabalhos intelectuais que exijam muita concentração mental. Pelo lado de Netuno a dica é dar aquele descanso merecido para o intelecto e deixar a mente mais aberta para aproveitar insights, intuições ou, simplesmente, apreciar a poesia, arte e tudo que puder elevar o pensamento, incluindo a meditação e a prece.

Como Sol e Plutão vão estar em conflito de 13 a 15/10 é bom evitar situações conflituosas com autoridades, que podem se irritar mais do que o normal e prejudicá-lo. Melhor evitar o confronto com essas pessoas!

Logo em seguida, de 18 a 20/10, Plutão e Mercúrio em harmonia vão facilitar todo tipo de trabalho investigativo e o pensar em profundidade.

Na sequência, de 21 a 26/10, Vênus faz excelentes aspectos com Saturno, Netuno e Plutão. É bom aproveitar esses dias para dar um “up” na sua vida social e afetiva. Aproveite para ficar mais próximo de quem você gosta e, assim, tornar a relação mais sólida, agradável e profunda.

O Sol passa pelo signo de Escorpião de 23/10 a 21/11, gerando uma tendência, ainda que sutil, de comportamentos característicos deste signo. Pode ser que o modo de enxergar e sentir o mundo fique mais intenso, mas ao mesmo tempo reservado e estratégico. 

Entre os dias 25 e 29/10, Marte em dissonância com Saturno pode dificultar as ações apressadas e impensadas. Se surgirem obstáculos, a dica é manter a calma e procurar contorná-los com paciência e persistência, isso evitará o estresse! Essa dissonância tende a ficar ainda mais forte entre os dias 27 e 29/10, já que neste período também Sol e Urano ficam em oposição!

Pouco antes do fim do mês, um aspecto entre Saturno e Netuno deve ocorrer de 28/10 a 19/11, direcionando e estruturando todas as ações para que haja um sentimento de segurança.

Fechando Outubro, aproveite que Mercúrio e Vênus estarão em conjunção para fazer bons negócios ou conquistar aquela pessoa que há tempos está na sua mira, mas ainda não caiu na sua!  

O significado das casas astrológicas: 1 a 3

As casas astrológicas fazem parte de um tema muito corriqueiro, mas neste post você descobrirá significados a partir de preceitos inerentes das casas 1, 2 e 3, ampliando a visão que você tem de cada uma delas.

Vamos começar lembrando um aspecto importante, que é a divisão das casas astrológicas. A linha do horizonte corresponde a casa 1 até a casa 7. Depois nós temos o eixo: meio do céu e fundo do céu. O meio do céu é o ponto onde o Sol está a pino, o ponto mais alto. O Sol nasce no Ascendente, sobe até chegar no meio do céu, e depois se põe no Descendente. Tudo que está acima da linha do horizonte, portanto, está externo e tudo abaixo dela está interno. Essas informações são levadas em consideração ao estudarmos os significados das casas astrológicas.

A nossa essência é marcada pelo Sol, pela Lua e pelo Ascendente. Isso quer dizer que a maior parte da nossa personalidade tem a ver com esses três fatores no mapa. A casa 1 é a casa do Ascendente. Este, por sua vez, não é a nossa essência, mas um comportamento que escolhemos ter inconscientemente. É o jeito com que cada um de nós aparece para os demais. Podemos dizer, então, que o Ascendente é um tipo de persona, uma máscara social, usada como proteção em relação às pessoas que nós não conhecemos. Além disso, ele tem a ver com a forma física. Alguns astrólogos dizem, inclusive, que é a parte da frente do corpo. Depois, quando formos finalizar o significado das casas astrológicas, você verá que a casa 12 tem a ver com a parte de trás do corpo (com a nuca ou as costas), porque diz respeito àquilo que não é perceptível sobre nós mesmos.

Tudo que significa ‘as minhas atitudes’, ‘as minhas escolhas’, o jeito como ‘eu escolho me comportar’, isso é o Ascendente. Tudo isso tem a ver com a aparência! Através da análise do Ascendente e do regente é possível acessar traços da forma física.

A casa 2 tem uma analogia com o signo de Touro e representa a segurança, principalmente do ponto de vista material. Esse sentimento é gerado por aquilo que você pode contar: seus recursos, celular, carro, dinheiro, entre outras coisas, para poder sobreviver. Por isso, ela é uma casa muito ligada a questões de sobrevivência. Primeiro sobrevivência, depois conforto. Ela também está ligada a determinados valores que só existem, inclusive, porque oferecem segurança. Além disso, a casa 2 aponta para o modo de aquisição e aplicação de recursos, a forma como você aplica seu dinheiro para obter segurança.

Outro significado muito forte da casa 2, nem sempre lembrado, é a questão da concretização. Quem tem uma casa 2 boa tem uma facilidade de concretizar coisas e projetos. Se na casa dois algo é decidido, na casa 2 isso é concretizado. 

Uma pessoa com uma boa casa 2 consegue não só concretizar uma ideia, mas também identificar a melhor maneira de aplicar seus recursos. Se for a criação de um produto, um pastel, por exemplo, ela consegue pensar nos melhores ingredientes, o local para comprá-lo, além de ter a capacidade de reunir os seus recursos, manipulando todas as questões necessárias para o lançamento desse produto.

A casa 3 tem uma analogia com o signo de Gêmeos. Para começar, podemos mencionar a curiosidade geminiana. Portanto, essa casa está ligada à área da vida que busca informações e se preocupa com o que está acontecendo ao redor. No entanto, essa busca é ligada a conexões e comunicações. Uma coisa muito ligada ao regente de Gêmeos, Mercúrio, é o intelecto, a informação, o raciocínio e o deslocamento.

A casa 3 tem a ver também com papéis, documentos, recibos, contas, estudos e ensino. A troca de informações presente na relação de ensino-aprendizagem, as primeiras letras, a primeira escola, tudo isso diz respeito a essa casa astrológica. Outro aspecto que resume muito bem a casa 3 é o comércio e a negociação, já que para vender bem um produto é necessário conhecê-lo e divulgá-lo: olha aí novamente a questão da troca!

Curtiu esse post e ficou curioso sobre as casas astrológicas? Fique de olho nos próximos posts e conheça o nosso Curso Online de Formação em Astrologia: https://ciadosastros.com.br/ 

O uso das órbitas na interpretação dos aspectos

É muito comum quando se lê um mapa ou quando se estuda astrologia ficar se perguntando sobre a órbita dos aspectos, ou seja, aquela tolerância que é preciso dar na leitura dos ângulos formados pelos planetas dentro do mapa de nascimento ou numa técnica de previsão. 

No mapa de nascimento esses ângulos são formados por figuras estáticas, se comunicando através dos ângulos: conjunções, sextis, quadraturas, trígonos, oposições. Normalmente, os aspectos que têm uma graduação ou tamanho específicos, como o trígono (120º), funcionam ainda que não estejam precisamente no ângulo de sua origem. Um trígono pode funcionar, então, com 120 graus e alguma coisa ou com 110 e algo a mais, por exemplo. Há uma tolerância para frente e para trás, portanto, entre os aspectos. Como identificar graficamente isso no mapa e qual a implicação disso na leitura do mapa natal: o aspecto fica mais forte, mais fraco?

Em princípio vale dizer que a precisão do aspecto é medida pela proximidade com o grau em que ele forma no mapa natal. De qualquer forma, a potência do aspecto deve ser relativizada, já que ela pode ser dissipada em função das dignidades planetárias dos planetas envolvidos nessa relação angular. Então, se por exemplo, a Lua – domiciliada no signo de Câncer e exaltada em Touro – faz um trígono exato de 120º com Saturno, ele terá uma força muito grande. Geralmente o impacto disso na vida do indivíduo diz respeito ao recebimento ou gerenciamento de recursos, com uma possibilidade maior de acúmulo do que de gasto. Dessa forma, a capacidade gerencial da pessoa melhora, assim como sua reputação e capital social. Isso é um efeito comum nesse tipo de aspecto!

Porém se o trígono for formado com uma órbita de 6º, por exemplo. Ou seja, em vez de 120º exatos, a distância angular entre eles for de 114º ou 126º (o que resulta numa diferença para o aspecto exato de 6º – por isso dizemos órbita de 6º). Então teremos um alargamento da distância entre o grau exato e o grau em que estão os planetas. Isso em tese enfraqueceria os aspectos. Por outro lado, como ambos estão fortes (domicílio e exaltação), é difícil que essa configuração revele um aspecto fraco, muito pelo contrário! 

Caso esses mesmos planetas estejam em signos em que não fiquem tão poderosos, a situação muda de figura. Se o trígono ou um dos aspectos não forem exatos, ele terá sua potência relativamente diminuída. Como seria o caso da Lua em Aquário, onde ela não tem dignidade, e Saturno em Sagitário. A Lua faz um sextil de Aquário pra Sagitário, um aspecto de 60º, e o efeito disso é sempre muito favorável, mas se a órbita estiver um pouquinho maior que zero, já perde um pouco de sua potência. 

É importante lembrar que cada mapa é um caso! Graficamente é possível verificar cada uma dessas situações no mapa natal em análise – como feito no vídeo no Youtube. 

Para saber mais sobre este assunto, conheça o Curso Online de Astrologia da Cia dos Astros: https://ciadosastros.com.br 


Mercúrio: o duplo por natureza

A primeira coisa que vemos ao analisarmos Mercúrio é sua duplicidade. O planeta é hermafrodita, possui natureza dual, além de reger os signos de Gêmeos e Virgem.

Mercúrio é filho de Zeus, o grande chefe do Olimpo, e a ninfa Maia. Tem como característica um raciocínio muito rápido e a ausência do medo. As coisas mais absurdas que o confrontam, ele tira de letra através da sua agilidade mental, usada como subterfúgio em determinadas situações. Essa agilidade também é dupla e, portanto, tanto física como mental. 

As asas em seus pés e no seu capacete representam justamente sua inteligência em pensar e se deslocar muito rápido. É por isso que Mercúrio rege a inteligência, o intelecto e o raciocínio. Essa inteligência serve para avaliar, por exemplo, a melhor forma de chegar rápido a um determinado lugar. Nesse sentido, uma analogia bem interessante para pensarmos em Mercúrio é considerá-lo um carteiro. Na verdade, ele era exatamente o “carteiro do Olimpo” ou, melhor dizendo, o mensageiro de lá, sempre muito ágil por conhecer e saber como se deslocar com a maior eficiência e eficácia.

Inclusive, toda memória associada a fatos também tem ligação com o planeta. Numa situação de estudo, por exemplo, tudo aquilo que foi lido e armazenado no cérebro pode ser acessado com eficiência através de Mercúrio.

Mercúrio era o mensageiro do Olimpo e particularmente de Zeus, seu pai. Transportava de tudo, inclusive as almas que iam para o reino dos mortos. Era o único que não representava nenhuma ameaça e, portanto, Hades (Plutão), lhe dava livre acesso aos mundos inferiores.

O planeta rege além das viagens e dos deslocamentos, as transações comerciais de compra e venda, o comércio, o raciocínio ágil e a capacidade de negociação. Essa agilidade pode acabar tendo um lado embusteiro e/ou malandro. Isso acontece porque Mercúrio pensa tão rápido, que quando se dá conta ele já deu “um nó” no cérebro dos outros, muitas vezes enganando ou ludibriando a todos, por puro prazer de utilizar a sua privilegiada agilidade mental – como se fosse um divertimento infantil ou maroto.

É lógico que Mercúrio também tem o seu lado curioso, ligado a Gêmeos, porque ao ser o “repórter” do Olimpo ele acaba sabendo de todos as notícias. Por outro lado, esse planeta também pode usar seu raciocínio privilegiado para ajudar, cooperar e servir às outras pessoas, executando muitas tarefas com método, precisão e superior capacidade de análise, tal qual funciona o signo de Virgem. Lembro que a habilidade de um músico tocar um instrumento, com a técnica e precisão de um expert, também está ligada à inteligência virginiana. Por isso, faz todo sentido que o planeta seja regente de ambos os signos.

Gostou desse conteúdo, mas achou ele muito curtinho? Conheça o nosso Curso Online de Formação em Astrologia em https://ciadosastros.com.br/ e venha estudar com a gente!

Casas angulares: o que são e como funcionam?

As casas angulares são de extrema importância na leitura do mapa astrológico. A grosso modo, são as casas 1, 4, 7 e 10. Sendo a primeira delas relacionada ao ascendente, a 10ª com o meio do céu, a 7ª iniciada pelo signo descendente, oposto ao ascendente, e a casa 4 que é o Nadir, o chamado fundo do céu, relacionado à meia-noite.

As casas astrológicas são divididas em angulares, sucedentes e cadentes. As angulares são associáveis aos signos cardinais: Áries, Câncer, Libra e Capricórnio. Já as sucedentes são associáveis aos signos fixos: Touro, Leão, Escorpião e Aquário. As cadentes, por sua vez, são associáveis aos signos mutáveis, ou seja, Gêmeos, Virgem, Sagitário e Peixes. Isso significa que elas têm naturezas semelhantes, porém não idênticas aos signos. Além disso, também não se pode afirmar que, por conta dessas naturezas semelhantes, você necessariamente terá esses signos nessas casas. As casas variam, portanto, de acordo com o horário de nascimento e localidade do indivíduo. Essas informações juntas é que determinam as coordenadas geográficas para o cálculo da análise astrológica.

As casas angulares são as mais enfáticas, porque estão muito próximas dos ângulos: o ascendente, o meio do céu, o fundo do céu e a casa 7 (descendente). Por isso, tudo que tiver muito próximo ou diretamente “colado” nos ângulos ganha uma lente de aumento. Aliás, quando o assunto é ascendente e casa 7, podemos dizer que as coisas ganham um telescópio Hubble de tanta importância. Aparentemente, as situações incham. Tanto do ponto de vista físico, quando é possível ver o Sol despontando no horizonte, quanto no sentido de dilatação psicológica, comportamental ou da importância circunstancial daquela coisa. Por isso mesmo que, como já mencionado, tudo que estiver próximo dos ângulos ganha ênfase.

O planeta pode não estar com tanta força, como no seu signo domiciliado ou de exaltação. A Lua pode estar em Escorpião, que não é seu signo de maior potência. Seu signo de maior potência é Câncer e, logo em seguida, Touro. Por outro lado, se ela estiver em cima do ascendente, do meio do céu ou da entrada da casa 4 e 7, haverá uma ênfase no seu comportamento, nas circunstâncias que você vive com as pessoas ao seu redor ou aquelas com quem dialoga com mais frequência.

Ao analisar um mapa astrológico, se encontrarmos fatores como Saturno, nodo Sul e Plutão próximos do grau do ascendente, ou seja, angular, eles acabam ganhando uma importância cabal. É o caso de Saturno, mesmo que o ascendente não esteja em Capricórnio e pode estar em qualquer outro signo como Sagitário, Libra, Virgem, entre outros, estando na situação angular, acaba ganhando um preponderância enorme. Dessa forma, a pessoa em análise no mapa natal tende a demonstrar traços controladores, uma necessidade de colocar as coisas em ordem, reclamar alegando que as coisas nunca estão boas o suficiente, há também uma necessidade de fazer com que as coisas durem e de assumir compromissos e  responsabilidades, por exemplo. Tudo isso faz parte da índole de Saturno, sem importar o signo que está no ascendente do mapa analisado. Isso não faz tanta diferença por causa da posição angular de Saturno – as condições analisadas são referentes ao mapa disponível neste vídeo.

Supondo que Mercúrio fosse angular no mapa astrológico de um indivíduo, por exemplo, mesmo na casa 4 ou não tendo tamanha ênfase por dignidade planetária, revelaria pessoas que se expressam muito bem.

Na angularidade, o simples fato de um planeta estar situado numa casa angular, já confere a esse planeta uma importância muito grande. Isso, por si só, aumenta o volume da interpretação do mapa astrológico!

Curtiu esse assunto? O simbolismo das casas angulares faz parte do Curso de Formação da Cia dos Astros: https://ciadosastros.com.br/ 

Página 1 de 13