A influência dos astros na nossa vida

Você sempre se interessou por astrologia, principalmente em relação a influência dos astros na sua vida pessoal, profissional e social? Esse é um dos assuntos que geram mais curiosidade e eu, Sérgio Pupo, resolvi abordar esse tema no post de hoje! Quem vem comigo?

“Assim é embaixo como é em cima”. Esse aforismo hermético resume muito bem o significado da astrologia. Nas civilizações antigas, as previsões astrológicas eram utilizadas na agricultura, para compreender os fenômenos naturais, as cheias dos rios, os movimentos e ciclos da natureza, além dos acontecimentos na vida humana. 

Para compreendermos melhor a influência que os astros têm na nossa vida, é feito o mapa natal, uma espécie de fotografia do exato momento em que nós nascemos. O posicionamento dos planetas e signos nas casas astrológicas, os aspectos e trânsitos planetários servem de apoio e orientação na hora de conhecermos nossas tendências, comportamentos, qualidades e desafios. Confira de forma sucinta o que os elementos do mapa natal representam:

Sol 

Representa nossa essência, nosso ego. Como enxergamos a vida e como somos e procedemos. É também o nosso lado ativo ou masculino, e também tem muitas ligações com o nosso pai.

Ascendente

A posição do ascendente se situa na cúspide (início), na primeira casa astrológica no mapa natal. É a primeira impressão que causamos aos demais, como se fosse uma “máscara pessoal, ou nossa persona. 

Lua

Representa nosso lado passivo e emocional: reações emocionais, sensibilidade, inconsciente, expressões emocionais subconscientes e instintivas, intuição, temperamento e aspectos da nossa natureza mais íntima. Tem profunda relação com a nossa mãe.

Mercúrio

Representa nosso intelecto, como raciocinamos, nos comunicamos e nossos padrões mentais. 

Vênus

Representa nossa afetividade, sensualidade e aquilo que nos atrai no outro. Também vai indicar como conseguimos (ou não) seduzir os outros e obter pequenos favores – e é por isso que também é chamado de “pequeno benéfico” da astrologia.

Marte

Marte representa nosso poder de iniciativa, como agimos e avançamos nas coisas que desejamos conquistar. Indica também nossa capacidade de superarmos desafios, de nos defender dos outros e nosso impulso sexual. 

Júpiter

Representa nosso potencial de expansão e crescimento, além do nosso sentido na vida. Sabe aquilo que nos impulsiona individualmente? Tem a ver com Júpiter. Indica também onde podemos obter grandes benefícios.

Saturno

O planeta representa uma espécie de mestre, como um professor, que sempre tem algo a nos ensinar. Ele representa nossa necessidade de sermos excelentes, e, portanto, onde temos medo de errar, e por isso nos limitamos ou nos exigimos. Saturno funciona como um acumulador de experiências para nos tornarmos cada vez melhores. Também indica o nosso nível de responsabilidade, disciplina e maturidade frente aos desafios da vida, apontando nossas fraquezas, faltas e carências.

Urano

Urano é o nosso impulso e anseio por liberdade! Não à toa ele é conhecido como o planeta da revolução, da rebeldia e do novo. Onde temos Urano, é onde a nossa vida tem potencial de nos renovarmos.

Netuno

Netuno representa nossa imaginação, inspiração, espiritualidade e poder de inspiração. Tudo o que promove a transcendência da materialidade tem a ver com Netuno (para o bem ou para o mal): é o encantamento, a arte, a meditação, mas também as drogas e a fuga da realidade. 

Plutão

Representa nossa elevação da consciência acima da materialidade e do cotidiano, trabalhando apegos, promovendo crises, términos e recomeços, morte e renascimento, e transformações profundas. 

É importante esclarecer que o mapa natal não tem a função de determinar o futuro, mas sim apontar tendências que podem nos ajudar em nossa jornada individual e coletiva! 

Curtiu esse post? Eu, Sérgio Pupo, espero por você com muito mais conteúdos astrológicos no Curso da Cia dos Astros. Acesse http://ciadosastros.com.br/ e inscreva-se!

O que o eclipse solar de amanhã promete para nós?

Se você acompanha de perto os eventos astrológicos deve saber que amanhã ocorrerá um eclipse solar. Cientificamente, um eclipse acontece quando a luz de um corpo celeste é bloqueada por outro. Quando a luz do Sol é obstruída pela Lua, temos o eclipse solar na Terra e quando a Terra está alinhada entre o Sol e a Lua, lançando uma sombra sobre a Lua, temos um eclipse lunar. Mas o que será que esse eclipse solar promete para nós?

Apesar de não ser visível no Brasil, somente em algumas partes da Europa, Ásia e África, o eclipse solar acontecerá às 03h41 (hora de Brasília). Sol e Lua estarão a zero grau de  Câncer! Vale lembrar que o Sol representa o futuro, enquanto a Lua representa o passado. Astrologicamente quando a Lua faz sombra sobre o Sol isso significa, dentre outras coisas, que ideias do passado podem retornar (que é o caso desse eclipse do dia 21 de junho). Além disso, Sol e Lua em câncer trazem uma oportunidade indescritível de conexão com as nossas raízes. Isso pode ser bom ou ruim, dependendo de como você recebe essa oportunidade e lida com ela! Tudo isso será mais forte para os nascidos no primeiro decanato dos signos cardinais (Câncer, Libra, Capricórnio e Aquário), bem como quem tem planetas natais em ângulos próximos a zero grau desses signos.

Esse eclipse será um bom momento para resolver tudo aquilo que não pertence ao momento presente, livrando cada um de nós de energias, mágoas e emoções que já não nos cabem mais. Fazendo uma analogia com o nosso guarda-roupa, é como se as roupas ficassem velhas e os sapatos gastos, sem falar na falta de conexão com essas peças que não representam mais nossa essência. É hora de renovar tudo isso!

Mercúrio continua retrógrado em Câncer e Saturno em Aquário. Por isso, a tendência é que haja alguma confusão entre passado e futuro. Revisão de fatos do passado, por exemplo.

Além disso, como tudo tem um lado positivo, Mercúrio retrógrado vai proporcionar mais coragem aos cancerianos. Alô, cancerianos! É hora de cuidar da sua saúde, especialmente a espiritual. Busque se fortalecer nas suas crenças e não se deixe levar pela opinião alheia.

Não podemos esquecer que Saturno continua retrógrado em Aquário, isso reverbera mais na coletividade, promovendo a revisão de diferenças de opiniões. Esteja aberto(a) a isso! 

Todo posicionamento no céu pode ser benéfico se nos abrirmos a ele, respeitando suas orientações e mantendo nosso livre-arbítrio, é claro. A astrologia sempre nos convida para um mergulho no autoconhecimento, a fim de também nos impulsionar para o conhecimento do outro, a nível coletivo! Esse convite é sempre muito bem-vindo para lidarmos da melhor forma possível com todos os acontecimentos, internos e externos. 

Gostou desse post e não quer perder nenhum evento astrológico? Acompanhe nosso canal no Youtube e venha fazer parte do nosso time de alunos! Acesse http://ciadosastros.com.br/ e inscreva-se!

Mercúrio no mapa natal

Mercúrio é o planeta que torna possível a comunicação de nossas ideias, fornecendo a base lógica para pensarmos e decidirmos. Também é responsável pela forma como nos comunicamos uns com os outros e quais os nossos principais interesses. Você já parou para observar onde ele está no seu mapa natal?

O planeta rege a comunicação, a inteligência, o intelecto e os deslocamentos. Dependendo do seu posicionamento no mapa natal, Mercúrio tende a fazer com que você fale muito ou seja muito curioso, seja uma pessoa muito crítica ou tenha uma boa oratória, por exemplo. 

Como imaginamos e sentimos tem a ver com a Lua, como já vimos em alguns conteúdos. Já a maneira como pensamos e raciocinamos tem a ver com Mercúrio. 

Um lado positivo do planeta é que ele é bastante flexível e adaptável. Por isso, qualquer conjunção com outro planeta faz com que sua atuação seja absorvida. Em conjunção com Saturno, por exemplo, a comunicação pode ser um pouco mais direta e fria. 

No entanto quando bem posicionado no mapa natal, Mercúrio permite que você se comunique de forma muito assertiva, compreenda, processe e armazene as informações de forma bem eficiente. Por outro lado, há também os aspectos negativos de Mercúrio, que quando mal posicionado pode abrir as portas para o sarcasmo, a mentira, crenças e verdades absolutas do seu ponto de vista, além de problemas de comunicação. 

O posicionamento de Mercúrio nos signos e casas é fundamental para avaliar que tipo de tendência o motiva na hora de pensar, tomar uma decisão, transmitir suas ideias ou simplesmente aprender algo.

Você se considera uma pessoa curiosa por esse assunto? Então venha fazer parte do time de alunos da Cia dos Astros e aprenda tudo sobre os planetas! Acesse http://ciadosastros.com.br/ e inscreva-se no nosso Curso de Formação em Astrologia!


Vênus: como você lida com o amor? | Especial: Dia dos Namorados

Você já parou para identificar onde está Vênus no seu mapa natal? O planeta representa o modo como você valoriza o amor e a beleza, embora seja popularmente conhecido como o planeta do amor. 

Representado por um glifo com o círculo do espírito acima da cruz da matéria, Vênus representa as aspirações mais elevadas do espírito, colocando sempre aquilo que não é material acima dos assuntos rotineiros. Além disso, o planeta representa a sensualidade, sedução, atração, prazer, alegria e também a capacidade afetiva que cada um de nós possui quando nos relacionamos com o outro. Por isso, a casa astrológica onde Vênus se posiciona é a área da nossa vida onde desejamos mais afeto. Hoje vamos falar justamente disso, do planeta nos signos e casas e na sua forma de lidar com o amor! Preparado?

Vênus nos Signos 

Vênus em Áries: toma a iniciativa nas relações afetivas, que tendem a ser instintivas e binárias (gosta ou não); relações afetivas marcadas por independência, liderança ou agressividade. 

Vênus em Touro: relações afetivas são estáveis, previsíveis e duráveis (têm que gerar segurança); sensualidade; gasta dinheiro com parcimônia e com aquilo que lhe dá prazer ou segurança. 

Vênus em Gêmeos: relações afetivas são pautadas por curiosidade e necessidade de troca de ideias. Se essa troca não ocorrer, se entedia e busca algo mais interessante; pode desenvolver múltiplos esquemas para ganhar dinheiro. 

Vênus em Câncer: tem prazer nas relações familiares ou íntimas; prazer em cuidar, proteger e acolher; pode haver associação entre segurança emocional e financeira.

Vênus em Leão: obtém prazer com diversão; são dramáticos para seduzir e detestam não serem notados; a relação afetiva precisa ser mostrada para os outros; valoriza as aparências e sente orgulho do que tem ou de suas relações afetivas e sociais. 

Vênus em Virgem: quando ama algo ou alguém é prestativo, mas também é crítico; sente-se bem quando ajuda quem ama; valoriza precisão, estética e limpeza; busca total perfeição nas relações afetivas; gosta do que funciona; muito analítico sobre as suas relações sociais e as dos outros. 

Vênus em Libra: fortemente voltado às relações sociais e afetivas; gosta de estar com alguém agradável e belo; valoriza o belo em si, nos outros e nas coisas; diplomacia; afeiçoa-se por ideais e por beleza estética; evita o conflito.

Vênus em Escorpião: as relações sociais e afetivas são marcadas por extrema intensidade; busca a alma gêmea e não apenas um parceiro; essa intensidade gera medo de perda, ciúmes e tendência a manipulação; alta dramaticidade e obsessão pelo objeto de afeto; entende que ter uma relação afetiva significa paixão e sexo em intensidades extremas (se não há, a relação morre); pode ir da paixão máxima à indiferença num segundo se perder a confiança. 

Vênus em Sagitário: muito espontâneos, sinceros e francos com quem amam; prazer por aventuras a dois; relações sociais permeadas por semelhança ética, filosófica ou pelos mesmos princípios de justiça; relacionam-se com pessoas otimistas e divertida; têm prazer em relacionar-se com estrangeiros ou viajar para fora.

Vênus em Capricórnio: cautela e pragmatismo nas relações e na forma de seduzir; desenvolve gostosos, prazeres e relações que duram; responsabilidade e pragmatismo nas relações sociais. 

Vênus em Aquário: as relações sociais e afetivas são dirigidas por ideias em comum e originalidade; a relação social e afetiva pressupõe muita liberdade. 

Vênus em Peixes: quando gosta ou ama contempla, admira e se deixa levar; amor romântico ou idílico; pode se sacrificar por quem ama. 

Vênus nas Casas

Casa 1: charme e sex appeal pessoais; atraente e simpático, é sedutor: jeitos e trejeitos calmos e harmoniosos; veste-se bem ou se apresenta belo e agradável.

Casa 2: valoriza dinheiro e beleza; generosidade com que troca afeto.

Casa 3: gosta de viagens curtas e férias; é provável que tenha relações harmoniosos com os irmãos e vizinhos.

Casa 4: tem prazer em receber em casa ou em estar com a família ou amigos íntimos; busca harmonia e beleza dentro das relações. 

Casa 5: tem prazer em se divertir, jogar ou brincar; paquerar pode ser mais gostoso do que namorar; gosta de hobbies; veia artística ou estética; gosta de elogios. 

Casa 6: busca prazer e harmonia nos ambientes que vive; sente prazer quando a vista está funcionando e em organizar suas rotinas de trabalho ou estabelecer regras e métodos para melhorar sua saúde e higiene; boa relação com os pares e subalternos. 

Casa 7: sente prazer em se relacionar com os outros e consegue harmonizar as relações; sabe diminuir as diferenças, conflitos e injustiças; gosta sempre de estar com alguém; atrai para si pessoas afáveis. 

Casa 8: obtém prazer em descobrir segredos; relações proibidas ou que envolvam sexo, prazer e ocultismo. 

Casa 9: tem prazer quando amplia seus horizontes viajando para longe, estudando ou lidando com ética, filosofia, justiça, ideais mais elevados ou religião; pode firmar relações afetivas que tenham a ver com essas questões. 

Casa 10: costuma ter boas relações no meio profissional ou com superiores; normalmente, são muito bem vistos. 

Casa 11: gosta de estar em turma; muito saudável; obtém benefícios dos amigos, geralmente sendo o fator agregador e harmonizador do grupo.

Casa 12: pode gostar de algo ou alguém, mas não ter certeza ou não conseguir expressar; geralmente não escolhe o par romântico, é escolhido. Se Vênus estiver aflita na casa 12 pode haver sacrifícios e relações afetivas que não podem se tornar públicas, por serem ilícitas ou inconvenientes; vive o amor e a paixão no recolhimento de si, ou seja, se sente bem quando gosta de alguém e fica longe dessa pessoa, deixando a imaginação fluir. 

Gostou desse conteúdo, mas quer saber mais sobre a influência nos planetas nos signos e casas? Inscreva-se no Módulo de Pré-interpretação agora mesmo. Clique aqui e os módulos I1 I2 com desconto: https://ciadosastros.com.br/ 

Aspectos planetários: o que são e o que eles indicam?

Você já ouviu falar em aspectos planetários? Eles são definidos como a distância angular que os planetas formam entre si.  Na astrologia eles são amplamente conhecidos e utilizados para interpretar um mapa natal!

Esses aspectos mostram basicamente o modo de interação entre os planetas, com base no local onde estão naquele momento. Existem alguns tipos de aspectos planetários, que podem ser divididos em harmoniosos, neutros e tensos. 

Quais são eles?

Conjunção (0º, ou seja, não há separação entre os planetas);

Oposição (180º);

Trígono (120º);

Quadratura (90º);

Sêxtil (60º). 

A conjunção é o aspecto mais forte, e pode ser um aspecto positivo ou negativo, conforme os planetas envolvidos. Isso significa que as características destes planetas se combinam, gerando eventos muito positivos ou muito desafiadores.

Durante a conjunção tudo fica muito intenso, porque os planetas natais têm suas características amplificadas. Já um planeta em trânsito pode abrir as portas para impulsos que antes não existiam. Você pode passar a pensar mais nos seus interesses pessoais ou, ainda, resistir a uma mudança que precisa acontecer, gerando tensões que podem atrapalhar a sua vida. Por isso é fundamental compreender as influências que estão no mapa natal ou nos trânsito, para lidar com elas da melhor maneira possível!

O trígono é considerado o aspecto mais fácil harmonioso, pois os planetas envolvidos agem se ajudando mutuamente. Esses aspectos revelam nossas habilidades e pontos fortes. Por outro lado, tê-lo em excesso no mapa natal pode fazer com que haja muita preguiça. A vida pode parecer muito fácil! A dica é não se acomodar e não se deixar levar por excesso de facilidades!

Você já ouviu falar em sextil? Ele também é um aspecto harmonioso, embora um pouco sutil  do que o trígono. O sextil indica oportunidades de crescimento no mapa natal, sugerindo que suas habilidades sejam reconhecidas e utilizadas. Diferente do trígono, o sextil não está ligado ao risco de acomodação. Mas é preciso fazer uma força extra para descobrir o que o motiva e se empenhar para que seus objetivos e desejos se concretizem!

Nem tudo na vida são flores, não é verdade? Quando falamos em aspectos planetários também falamos daqueles que são tensos, como a quadratura e oposição.

A quadratura é um aspecto desafiador, porque cria uma forte tensão entre os planetas envolvidos. Parece que as energias diferentes ficam inconciliáveis. Procurar harmonizar essas duas forças é tarefa difícil, mas não impossível. As quadraturas geram tensões internas que nos obrigam a agir, e por isso é que todos os grandes gênios da humanidade tinham muitas quadraturas (e outros aspectos tensos) em seus mapas natais. No ímpeto de tentar lidar com essas tensões é que eles conseguiram realizações incríveis. 

E a oposição? É o aspecto com maior distância entre os planetas. Estamos falando de 180º de separação na roda zodiacal, ou seja, os planetas estão em polos opostos. Com os planetas isolados, as características de cada um são preservadas, mas ao mesmo tempo surge uma dicotomia entre suas forças, tornando difícil conciliá-las. Ou pendemos para um lado ou para o outro, como uma gangorra. Oposições sempre nos ensinam a equilibrar melhor as áreas da nossa vida, como carreira e vida pessoal ou como o que eu quero  e o outro quer. 

Quer entender melhor como os aspectos planetários afetam a sua vida? Inscreva-se na disciplina (I2-Interpretando Aspectos Planetários) clicando aqui agora mesmo. E se você quiser adquirir o módulo inteiro (I1+I2) com um grande desconto, envie-nos um email (contato@ciadosastros.com.br) e peça instruções para pagar à vista (boleto ou transferência bancária). 


Por que estudar astrologia?

Nas civilizações antigas as pessoas já acreditavam que as estrelas do céu influenciavam a vida terrestre. Por isso, elas nomearam essas estrelas de acordo com os deuses da mitologia romana e de acordo com as suas influências. Hoje conhecemos essas estrelas como planetas: Vênus, a deusa do amor; Mercúrio, o deus mensageiro; Marte, o deus da guerra; Júpiter, o deus do dia e assim por diante.

A astrologia se baseia no princípio de que tudo no universo, material ou não, está relacionado e conectado de alguma forma. Dessa forma, os astros nos ajudam a compreender, reconhecer, modificar e crescer o tempo todo. A partir do estudo do movimento dos astros é possível conhecer a sua personalidade, o seu comportamento, suas motivações, seus talentos e habilidades, entre outras coisas muito pertinentes para viver melhor e enfrentar os desafios com mais facilidade. 

Ela também exerce um enorme papel facilitador nas nossas vidas, porque além de nos orientar em relação ao dia a dia nos ajuda a compreender o momento em que estamos. Aliás, esse estudo é ainda mais oportuno com a pandemia que estamos enfrentando. 

Essa grande arte milenar ajuda na expansão de conhecimento tanto a nível individual quanto coletivo, oferecendo informações muito importantes para tomada de decisões e mudança de comportamento ou postura, por assim dizer, seja na vida pessoal, profissional ou social.

Ao fazer toda sequência de estudos do Curso de Formação em Astrologia da Cia dos Astros, do básico –  os signos, suas características e traços; planetas – as faculdades da alma ou eventos gerados por ele; as casas astrológicas – áreas da vida onde as coisas acontecem; ao intermediário – a posição de um signo ou planeta numa casa, depois a junção dos signos, planetas e áreas da vida, os diálogos dos planetas e suas funções planetárias, aspectos, a ligação entre as casas por regência; até o avançado, período no qual você lida diretamente com as técnicas de previsão, você pode ser o que sempre sonhou: um astrólogo!

Em momentos de crise e de mudanças, as pessoas se interessam cada vez mais pelo assunto. Essa é a sua grande oportunidade de iniciar uma jornada completamente inusitada e aproveitar o momento presente para investir na pessoa que mais importa: você! 

Eu, Sérgio Pupo, espero por você com um estudo muito rico e interessante sobre astrologia!

Acesse https://ciadosastros.com.br e inscreva-se!

Marte nos signos: onde está a sua energia?

Você já parou para pensar na forma onde concentra sua energia e esforço? Marte está em domicílio nos signos de Áries e Escorpião; exílio em Libra e Touro; exaltação em Capricórnio e queda em Câncer.  

O planeta está ligado não só a energia, mas também ao impulso e à ação. Tudo isso pode ser percebido em fatos cotidianos, não apenas em conflitos ou relacionamentos. 

Capricórnio é o signo da ambição e da perseverança. Incansável, ele consegue o impulso e a energia de Marte para ir em frente! Por isso, Marte em Capricórnio tem uma fantástica capacidade de esforço continuado. 

Os planetas onde Marte está perfeito, ou seja, Áries e Escorpião, não conseguem ter a tenacidade de um Marte em Capricórnio. Marte em Áries é a explosão do esforço, mas muda de objetivo muito rapidamente, porque encontra outras coisas legais. Marte em Escorpião chega próximo a Capricórnio, e sua característica é cirúrgica; vai no ponto exato, mas se esgota no meio do caminho. Por outro lado, nada supera Marte em Capricórnio. Ele traça o plano geral a longo prazo, levando em consideração o tempo, por ser um signo de Terra, o espaço, os recursos e, além disso, mede muito bem a dose de esforço em cada etapa para não chegar exausto ao seu objetivo.

Abaixo você confere um breve resumo do planeta nos signos:

Marte em Áries

Coragem, iniciativa, liderança, audácia e impulsividade; pode ser competitivo nas questões mais banais; gosta de atacar e se defende instintivamente.

Marte em Touro

Iniciativa pragmática; é perseverante; demora a ficar irritado, mas quando isso acontece fica incontrolável.

Marte em Gêmeos 

Começa muitas coisas ao mesmo tempo ou não, mas sem terminá-las; demonstra inquietação e pressa; irrita-se com a lentidão alheia; possui curiosidade agressiva e que incomoda. 

Marte em Câncer 

Agressividade interna ou com os íntimos; toma iniciativa de maneira cautelosa e geralmente não direta; defende melhor as pessoas próximas do que a si. 

Marte em Leão

Agressividade e iniciativa se expressam de forma dramática e teatral; perseverantes e líderes, principalmente se houver plateia; opiniões enfáticas e firmes; autoritários.

Marte em Virgem 

Agressividade e iniciativa visam eficácia; prefere pequenas ações a uma única; precisão cirúrgica; escolhe agir sozinho e se irrita com as iniciativas alheias que falham. 

Marte em Libra 

Considera todos os prós e contras das iniciativas antes de agir ou se defender; dificuldade de dizer não. 

Marte em Escorpião

Agressividade e iniciativa; vai direto ao ponto e é muito eficaz; é passional; briga para arrasar seu oponente ou morrer; vingativo. 

Marte em Sagitário

Luta pelos seus ideais e motiva as pessoas ao agir; pode ser exagerado para defender suas ideias e até ser fanático ao pregar suas crenças.

Marte em Capricórnio

Tende a ser ambicioso, persistente e dedicado em projetos de longo prazo; dificilmente perde a cabeça; autocontrole e bom timing para agir. 

Marte em Aquário

Luta por liberdade e igualdade de todos; iniciativas originais ou imprevisíveis, geralmente permeadas por frieza.

Marte em Peixes

Luta ou se sacrifica pelos menos favorecidos ou excluídos, mesmo que se prejudique com isso; inconstância na ação, falta de comprometimento e procrastinação. 

Achou muito curtinho esse post e ficou curioso para saber mais a fundo sobre o tema? Inscreva-se no Curso da Cia dos Astros: https://ciadosastros.com.br/ 

Dignidades planetárias

Você já ouviu falar em dignidades planetárias? Os planetas têm mais ou menos força dependendo do lugar em que se encontram no mapa natal. Isso quer dizer que quanto mais longe do seu respectivo signo de regência, mais ele fica inadequado. 

Quando falamos em dignidades planetárias estamos falando das dignidades celestes e terrestres. Para cada uma das duas existem os seguintes posicionamentos: domicílio, exílio, exaltação (dignificado) e queda. Isto é, um planeta pode estar em domicílio, exílio, exaltação ou queda. 

O planeta em domicílio, seja num signo ou casa, tem a natureza perfeita. Isso significa que ele consegue exercer 100% do seu potencial! Basta pensar em como você se sente à vontade numa casa em que você já mora há muitos anos. Se tem uma tomada que não funciona você nem tenta ligá-la, porque você já sabe que isso será em vão, por exemplo. Você sabe qual é o sofá mais confortável da sala, onde estão os pratos, talheres e copos, exercendo domínio de tudo. 

O oposto disso é quando o planeta está em exílio. Essa palavra lembra uma situação muito desconfortável, que é a de pessoas deportadas, ou seja, que são expulsas do próprio país. Astrologicamente isso significa que o planeta em exílio está fora do lugar que lhe é próprio, tudo é esquisito. Imagine que você está no elevador indo para o seu apartamento, desce no andar errado e, por engano, entra em outro apartamento. Essa situação mostra como causa certa estranheza estar fora da nossa casa, ou seja, do domicílio. Isso é o que o planeta em exílio enfrenta, sem conhecer absolutamente nada e estando em desarmonia com a energia daquele signo ou casa. Imagine o seguinte exemplo: uma pessoa super inteligente e brilhante numa quadra cheia de jogadores de basquete grandalhões. Ela vai ter que jogar basquete, mas sua habilidade não é essa; é raciocinar e trabalhar a relação de causa e efeito. Sem falar que ela não tem a estatura e o físico de acordo para estar na quadra. Como consequência, o planeta em exílio não consegue se expressar conforme sua natureza e fica enfraquecido, fazendo o mínimo possível por medo de cometer alguma besteira. 

A exaltação é o segundo melhor onde um planeta pode estar depois do domicílio. Imagine que você é um atleta de basquete e colocam você para jogar outro esporte coletivo, como vôlei. Você não é tão bom nisso quanto em basquete, mas tem estatura, preparo físico, coordenação motora e capacidade de prever o movimento dos seus adversários. Suas habilidades serão usadas para ter um desempenho próximo do que você teria jogando basquete, certo? O planeta em exaltação age dessa forma, forte e intenso, mas não com o mesmo brilho do que estaria em domicílio. 

A queda é como um sinal de rádio alto mal sintonizado. O planeta se encontra numa situação de estresse muito grande, quase tão forte quanto em domicílio, mas fazendo uma porção de besteiras. Imagine que você é um corredor de fórmula 1 e recebe um convite para participar de uma competição de natação. As duas são corridas, então você entra na competição achando que está em domicílio. Acontece que as estratégias que você costuma usar na corrida de fórmula 1 não são pertinentes para essa competição de natação. Então seu excesso de confiança faz com que haja exageros e conduta inadequada, como bater na raia para o seu adversário não ultrapassá-lo e assim por diante. 

QUADRO EXPLICATIVO – DIGNIDADES PLANETÁRIAS

DOMICÍLIO Perfeito para exercer a sua natureza;Forte e equilibrado;Sintonia perfeita.EXÍLIOFraco;Não se expressa;Som baixo.
EM EXALTAÇÃO OU DIGNIFICADOForte e intenso;2º melhor lugar.QUEDAForte e inadequado;Som alto e mal sintonizado.

Quando um planeta está alinhado com seu signo de regência, ou seja, na sua casa de origem, ele não sofre outras influências negativas, podendo exercer todo o seu poder e harmonia positivos sobre o signo. O mesmo não acontece quando ele está distante do seu signo de regência ou fora da sua casa de origem. O quadro abaixo mostra a relação dos signos com as dignidades planetárias. 

Curtiu esse conteúdo, mas ficou curioso para ir mais a fundo nesse estudo? Inscreva-se no curso de Pré-interpretação, nele você aprenderá conceitos importantes para começar a interpretar um mapa natal! Eu, Sérgio Pupo, espero por você!

O significado do Sol nos signos e casas

A astrologia é uma linguagem simbólica e funciona por analogia, no sentido de apresentar semelhanças. Nesse sentido, os planetas, signos e casas têm coisas em comum, mas são diferentes. 

O signo é algo mais abstrato. Podemos pensar nele como um pano de fundo em que um agente atua. Já o planeta é o agente, pois provoca eventos e age como um personagem nesse pano de fundo. Imagine a seguinte situação, você é um cantor de pagode (planeta) e vai para uma roda de samba (signo). É natural que você fique à vontade, certo? Já se você vai para um concerto sinfônico, o mesmo não ocorre; você se sentirá limitado. Qualquer agente pode atuar em Áries, Touro ou qualquer outro signo. 

Se o Universo astrológico fosse uma peça de teatro nós teríamos os planetas, signos e casas atuando como atores da peça, cena e contexto, respectivamente. Assim:

– Planetas: atores da peça, sendo Sol e Lua as estrelas principais (protagonistas). Por quê? Eles são os chamados planetas pessoais que moldam a nossa essência. E os demais planetas seriam os coadjuvantes.

– Signos: seriam o cenário, ambiente, o som, a iluminação, o figurino, a maquiagem, entre outros exemplos. Ao pensarmos astrologicamente, ele atua de 12 maneiras distintas – 12 signos do zodíaco.

– Casas: seriam o contexto ou a cena em questão. Como, por exemplo, uma luta, um trabalho, uma cena doméstica, entre outras. Voltando para o exemplo dado lá no começo, do cantor de pagode que vai ao concerto, é natural que haja mais facilidade em atuar em determinados contextos do que em outros. 

Marte em Áries na casa 1, por exemplo, está muito à vontade. Isso porque a casa 1 tem uma analogia com o signo de Áries. Já Marte em Áries na casa 12, por exemplo, o mesmo não acontece. As casas astrológicas representam a área da vida de atuação dos planetas. Por isso, o planeta pode estar à vontade por causa do signo, mas não por causa da casa (contexto). Qualquer planeta que está na casa 1 atua sobre a nossa vontade, a nossa forma de aparecer para o mundo. Se esse mesmo planeta está na casa 2 ele provoca eventos e age na área dos nossos recursos materiais, da nossa segurança material, indicando de que jeito cada um de nós adquire dinheiro e assim por diante, até a casa 12. 

Tendo isso claro e conhecendo o significado dos planetas nos signos e casas você terá uma base para interpretar o mapa natal de uma pessoa! 

Para dar um gostinho especial do que espera por você no Módulo de Pré-Interpretação conheça as características de um dos protagonistas na peça da vida, o Sol: 

Sol nos Signos

O Sol representa o lado ativo da nossa personalidade, ou seja, onde nós colocamos a nossa energia. Dessa forma, cada um enxerga a vida de acordo com o seu signo solar: 

Sol em Áries, por exemplo: viver é quebrar a inércia, começar algo antes; competir e sair vencedor. Tem pressa, é impulsivo, destemido e independente; direto e impaciente. Começa as coisas sem pedir licença, diferente de Libra. 

Sol em Touro: busca conforto e estabilidade, o que gera fidelidade, mas também apego e aversão ao risco; vê o concreto sem abstrações; maximiza a relação entre esforço e benefício; possui boa noção de valor, tempo e espaço. 

Sol em Gêmeos: versatilidade, dualidade; curiosidade; facilidade de aprendizado e de comunicação; raciocínio ágil e múltiplo; adaptabilidade; jovialidade. 

Sol nas Casas

Casa 1: autopercepção do “eu”; autocentrado; “eu faço do meu jeito”; “eu escolho”; brilho pessoal; entusiasmo e determinação; vitalidade. 

Casa 2: poder de realização e concretização; evita riscos “melhor um pássaro na mão do que dois voando”; poder de fazer brotar, atrair e frutificar seus próprios recursos.

Casa 3: necessidade e habilidade de movimento físico, como viajar, ou intelectual – aprender. Foca no que está perto e não longe. 

Ficou curioso para mergulhar nesse aprendizado e descobrir mais sobre você e as outras pessoas? Clique aqui e inscreva-se já  >>> Curso Interpretando Planetas em Signos e Casas

Planetas retrógrados no céu: como usá-los a seu favor

Como é de conhecimento de todos, os planetas orbitam ao redor do Sol. Em relação ao Sol, nenhum planeta retrograda (volta na sua trajetória) de fato. Mas do ponto de vista de quem está na Terra, sim, existe uma retrogradação aparente: observando a trajetória dos planetas, veremos que eles vão em uma direção, param, retrogradam e em seguida voltam em seus movimentos diretos. Como tudo na astrologia tem um significado simbólico, o que os planetas retrógrados significam no céu?

A maior parte do tempo, todo planeta fica em movimento direto. Dessa forma, o movimento retrógrado é uma exceção. Imagine que você faz o mesmo caminho todos os dias e em determinada época do ano faz um caminho que não é familiar. Nesse momento você não consegue ser você mesmo 100%. 

Os planetas, diferentes dos signos, são geradores de eventos e podem por analogia, ser comparado a agentes ou “pessoas”. Ao fazer um caminho todos os dias e mudar de rota em alguns certos momentos não é possível ter a mesma familiaridade ou energia para exercer todas as capacidades na direção que lhe é natural. É assim que funciona um planeta quando ele aparece retrógrado no céu. 

Analogias são muito interessantes para entender melhor como funcionam determinadas coisas na astrologia. Retrogradar significa voltar, certo? Imagine que você vai à padaria todos os dias de carro comprar pão, mas um belo dia você vai de ré. Ao olhar o retrovisor você não vai ter a mesma desenvoltura que teria ao dirigir até a padaria normalmente. O mesmo acontece quando você anda para trás, olhando as coisas de um ângulo diferente do usual. Dessa forma, quando em movimento retrógrado, o planeta reage de uma forma mais lenta e cautelosa, porque não está familiarizado com aquela situação, percebendo o mundo de um jeito que ele não percebia até então. Logo, a percepção da persona chamada planeta, que está atuando coletivamente, muda. 

Para melhor compreensão, esmiucei o significado de cada um dos planetas abaixo rapidamente:

Sol e Lua

São chamados de planetas na astrologia porque atuam simbolicamente como tais, embora não o sejam efetivamente. Sol é uma estrela e Lua, um satélite. Sol e Lua não retrogradam nunca. 

Existem os planetas pessoais, Mercúrio, Vênus e Marte, que retrogradam, os planetas sociais, Júpiter e Saturno; e os planetas geracionais, os demais. Cada um dos planetas atua de forma diferente quando está em movimento retrógrado. 

Mercúrio 

Rege comunicação, negociação, intermediação, os deslocamentos, viagens, o estudo, a assimilação mental, o ensino, e pelo lado de Virgem, a técnica e a crítica. Essas funções ficam “andando de ré”, modificando as percepções a respeito de como funciona tudo isso. 

Quando retrógrado tem suas funções alteradas, ou seja, daquele jeito de engatar a ré e olhar pelo retrovisor. A comunicação fica mais difícil; é necessário prestar mais atenção às trocas de e-mail e correspondências para não trocar o destinatário, revisar textos que são feitos, planejar os deslocamentos para não chegar com muita antecedência ou atrasado. 

O movimento de retrogradação não é necessariamente um problema, desde que cada um de nós saiba usá-lo a nosso favor. Na verdade, todos os aspectos no céu devem ser usados dessa forma e por isso é tão importante conhecê-los e entendê-los astrologicamente. 

Vênus 

Rege todos os relacionamentos sociais e afetivos. Também gosto de chamá-lo de nosso aparelho sedutor. Tem a ver com beleza, diplomacia e rege a nossa capacidade de obtermos favores e benefícios dos outros. 

Quando em movimento retrógrado, essas questões de relacionamentos podem passar por revisões. A vida social pode acabar mudando de tom; se antes você estava vivendo uma vida muito intensa, agora você vai reavaliar isso e conviver com outras pessoas. 

O poder do planeta quando está em movimento retrógrado não fica na sua intensidade máxima. Dessa forma, os relacionamentos ficam um pouco diferentes; podem surgir pessoas do passado para que você reavalie esses relacionamentos; a vida social muda. Não é um bom momento para fazer um corte de cabelo novo ou uma cirurgia plástica, por exemplo, já que Vênus rege a harmonia e a beleza. Por não estar plenamente na sua potência máxima das suas funções, não é um bom momento para você mudar algo importante nessas áreas. Fica a dica!

Marte 

Rege a ação e a iniciativa; é regente de Áries, aquele que rompe a inércia, como a semente que fura a terra e desabrocha. É o planeta da coragem e da audácia. 

Quando retrógrado, não é um bom momento para ter embates e inícios. Isso porque a energia de enfrentamento não fica plena; você ataca e recua. É interessante, por isso, planejar suas ações para depois da retrogradação, e assim executá-las com maior assertividade. 

Júpiter

É o planeta da expansão. Quando retrógrado, tudo que implica em expansão pode não sair como esperado: aquisição de conhecimentos, estudos avançados, viagens. Algumas decisões, inclusive judiciais ou éticas, que foram tomadas no passado, por nesse momento serem revisadas. A justiça passa a ser vista por um outro ângulo, justamente porque você está em movimento de retorno. A visão do passado passa a ser outra!

A nível pessoal, o movimento retrógrado de Júpiter estimula a revisão de crenças. 

Saturno

É o planeta que rege a estrutura e também conhecido como planeta do medo, porque tem medo e receio de errar. Quando em movimento retrógrado ele não está plenamente estruturante. Dessa forma, tudo que está sendo estruturado para durar tende a não funcionar muito bem porque alguns detalhes importantes passam despercebidos. Uma boa maneira de agir em época de Saturno retrógrado é prestar mais atenção a estes detalhes e rever determinadas coisas que podem representar um risco no futuro. 

Urano 

Atua menos a nível pessoal, a não ser que esteja fazendo aspectos com planetas pessoais. É o planeta da revolução, da novidade, daquilo que é inesperado, a criatividade, o diferente. Rege também a tecnologia. 

Quando em movimento retrógrado, soluções tecnológicas e criativas que tinham sido decididas no passado podem ser revistas. Por isso, pode haver algumas correções no rumo que antes havia sido traçado.

Urano também tem a ver com o social, procurando diminuir as diferenças entre as pessoas. Por isso ele pode ser meio conspirador, reunindo um grupo de pessoas para conspirar contra algo que os oprime de alguma maneira. Entretanto, quando retrógrado, a sua capacidade de se revoltar e mudar fica contida. A inovação não é feita da mesma forma quando em movimento direto. 

Movimentos de igualdade sociais tendem a ser mais amenos, ou aquilo que foi conquistado pode ser perdido. 

Netuno 

É o planeta do encantamento: ou você se encanta e se eleva do mundo material de uma forma positiva ou negativa. Pelo lado positivo, nos elevamos por exemplo através das artes e da meditação. E pelo lado negativo, através das drogas, do escapismo e do álcool. 

Fé, esperança e sentido de vida são palavras que se relacionam com o planeta quando ele está em movimento retrógrado. Você começa a se questionar a respeito de tudo isso ou rever essas questões. Pode querer buscar rever sua vida em busca de um sentido maior para viver.

Do ponto de vista coletivo Netuno também tem a ver com moda. Por isso, quando em movimento retrógrado, pode haver a volta de peças que já foram usadas em outra época.

Plutão

É o planeta do poder e tem a ver com duas coisas: plutônio, a bomba que devasta, e a plutocracia, um poder econômico absurdo que está na mão de poucas pessoas. Tem a ver com morte e renascimento (regente de Escorpião), com questões como culpa, mágoas, desapego, situações extremas e transformações profundas.

Quando em movimento retrógrado, tudo isso passa por revisão. O planeta dá o refresco necessário para resignificarmos o início e  fim de ciclos, de pessoas, de ambições, entre outras questões. 

Gostou desse conteúdo? Tem muito mais no Curso de Formação em Astrologia da Cia dos Astros! Inscreva-se já: http://ciadosastros.com.br/ 


Página 1 de 16