Por que eu não me identifico com o meu signo?

Você provavelmente já se fez essa pergunta em alguma época da sua vida, certo? Acontece que o seu signo solar é só a ponta de um iceberg cheio de variáveis, como ascendente, Lua, Vênus, Marte, e todos os demais planetas do sistema solar. E ainda, todos nós temos o zodíaco inteiro, isto é, os 12 signos em alguma lugar do mapa nata!. Ou seja, somos muito mais do apenas o nosso signo solar. 

A astrologia não analisa apenas o seu signo solar, mas um grande conjunto de características  encontradas no seu mapa natal, que é a fotografia do exato momento em que você nasceu. Para identificar suas características e tendências o astrólogo examina todas as variáveis descritas ali em cima para delinear a sua personalidade, seus pontos fortes e suas tendências de auto sabotagens. 

Uma dessas variáveis diz respeito às casas astrológicas, que correspondem a doze divisões do céu, projetadas no mapa de acordo com o local e a hora de nascimento de cada pessoa. São as casas astrológicas, e cada uma tem relação ou analogia com um signo do zodíaco. A presença dos planetas nessas casas, assim como a cúspide delas (o signo onde cada uma começa) e seu planeta regente vai dizer um bocado a mais sobre você, além da análise do seu signo solar. Como assim? 

● Casa 1 (Ascendente): representa a pessoa analisada no Mapa e seu corpo físico. Mostra a personalidade, o modo de dar início às coisas, o temperamento e a maneira como é vista pelos outros;

● Casa 2: representa o que pertence à pessoa e a forma como ela lida com suas posses e o que valoriza. Ainda mostra a capacidade de ganhar dinheiro e o sentido de valor e segurança;

● Casa 3: é o ambiente em que a pessoa vive, o vínculo entre irmãos, tios e primos. Também representa as pequenas viagens, a primeira escola e as formas de expressão e comunicação;

● Casa 4: representa o lar, as raízes familiares e a influência da família de origem;

● Casa 5: representa os hobbies, os divertimentos e os romances. Ainda diz respeito a esportes, prazeres e à relação com seus filhos e o que cria/inventa;

● Casa 6: representa o dia a dia, o trabalho, a saúde e os hábitos que temos; 

● Casa 7 (Descendente): descreve as parcerias conjugais e de negócios, o casamento e o que a pessoa espera encontrar em quem elege como cara-metade; também indica que tipo de pessoa você atrai ou “bate de frente”!

● Casa 8: é a maneira como a pessoa lida com os recursos dos outros e está relacionada a heranças, morte, regeneração, situações extremas e com mistérios; 

● Casa 9: representa filosofias, religiões e ensino superior. Ainda diz respeito a viagens longas e à relação com o estrangeiro;

● Casa 10: representa a vida pública, a profissão, a reputação e imagem públicas, a fama, o prestígio e o reconhecimento, assim como os grandes objetivos de vida de cada um;

● Casa 11: envolve os grupos dos quais ela faz parte e a relação com os amigos; também indica como a pessoa planeja (ou não) seu futuro.

● Casa 12: representa a saúde mental e também o inconsciente. Suas fraquezas e sobras. Também trata de necessidade de isolamento, de trabalhar nos bastidores ou de ajuda e auto sacrifício a pessoas necessitadas.

Mas se existem todas essas variáveis, por que as pessoas consideram somente o signo solar? É simples, olhando o Sol do mapa, já dá para ter uma boa ideia da essência mais básica da nossa existência. Mas em alguns casos, ela talvez não seja a mais preponderante.

A astrologia não avalia nada isoladamente. Além disso, mesmo que certas configurações possam nos influenciar de forma negativa ou positiva, nada é permanente ou determinante a ponto de nos cercar, eliminando nossa capacidade de liberdade na hora de escolher ser isto ou aquilo. É tudo muito mais complexo e fluido, ao mesmo tempo!

Curtiu esse post? Eu, Sérgio Pupo, espero por você com muito mais conteúdos astrológicos no Curso da Cia dos Astros. Acesse http://ciadosastros.com.br/ e inscreva-se!  


Mapa astrológico: pra que serve?

Você já se perguntou sobre a utilidade de um mapa astrológico? Ele é uma espécie de fotografia do céu no exato momento em que você nasceu e serve como um direcionador da sua vida, isto é, aponta todas as tendências importantes, além de ser uma das melhores formas de você se conhecer mais a fundo e com mais propriedade. 

Existe uma frase pra lá de interessante que define muito bem qual a proposta do mapa astrológico: “astra inclinant, sed non cogunt.”, ou seja, “os astros inclinam, mas não determinam.” Isso quer dizer que o objetivo do mapa vai muito além de fazer previsões, mas determinar todos os seus potenciais positivos e negativos (auto sabotagens), permitindo assim desvendar a melhor forma de direcionar sua vida de uma forma mais produtiva e eficaz, seja lá qual for a situação que você estiver vivenciando hoje. 

Conhecer o seu mapa astral é levantar questionamentos como por exemplo: onde está o meu Sol, Lua, que signo está na cúspide da casa 4 (fundo do céu) e da casa 10 (meio do céu) ou fazer estes mesmos questionamentos em relação ao mapa de alguém próximo. Isso tanto a nível pessoal como profissional, que é quando te pagam para analisar e revelar esses potenciais e contradições dos mapas natais de outros. Por isso o estudo e aperfeiçoamento é tão importante! 

É importante destacar que a astrologia não avalia nada de maneira isolada, já que é tudo bem mais profundo do que apenas o signo solar ou ascendente, por exemplo. É preciso levar em consideração as casas astrológicas, os aspectos planetários e muitas outras variáveis para que a análise do mapa natal seja eficiente. 

De maneira geral, cada planeta representa algo diferente. Sol, por exemplo, revela sua identidade, individualidade e como você percebe a vida; a Lua revela suas reações emocionais, desejos e necessidade de nutrição emocional; Mercúrio indica seu modo de pensar e de se comunicar; Vênus indica seu modo de se relacionar com os demais; Marte indica como você toma iniciativas e se defende; Júpiter, por sua vez, indica por onde sua vida naturalmente se expande; Saturno indica seus traços de disciplina, maturidade e capacidade de realização a longo prazo; Urano aponta seu modo de quebrar padrões e inovar; Netuno indica, dentre outras coisas, a forma como você fantasia e desenvolve a espiritualidade e Plutão, o seu poder de renovação e de dar a volta por cima diante das vicissitudes da vida. 

Conhecer o seu mapa natal é ter em mente que você nunca ficará à deriva. Quem conhece suas tendências e seus caminhos nunca fica sem rumo. Além disso, sempre que necessário, pode lidar da melhor maneira possível com os desafios da vida, evoluindo sempre! 

No Curso Online da Cia dos Astros você mergulha no conhecimento astrológico de forma didática, segmentada e orientada por mim, Sérgio Pupo, astrólogo e professor de astrologia há anos! Espero por você! Clique aqui e faça já sua inscrição >>> http://ciadosastros.com.br/ 


Sobre o ascendente

Você com certeza já ouviu falar no ascendente, não é verdade? Ele é a cúspide da primeira casa, e indica a forma como você aparece para as pessoas. Por isso, ele é um dos pontos mais importantes do mapa natal e aponta exatamente o grau e o signo que estavam no horizonte no momento do seu nascimento! 

O ascendente indica sua aparência, seus comportamentos mais automáticos e as suas tendências naturais. Além disso, o ascendente também revela muito sobre sua capacidade de lidar com a vida, suas decisões pessoais e sua vontade. Ele também simboliza o seu eu e o que é ser alguém nesse mundo pra você. O que você demonstra ser, como as outras pessoas o veem, a primeira impressão: tudo isso está ligado ao ascendente. 

O signo do ascendente e os planetas que estiverem na casa 1 também vão influenciar em todas as características acima, acrescentando características e tons adicionais ao seu padrão de comportamento. Além disso, o planeta regente do ascendente também regerá e influenciará esse ascendente. Por exemplo, se o seu Ascendente for em Gêmeos você terá como regente do seu mapa natal o planeta Mercúrio. Nesse sentido, quando falamos em ascendente e para uma análise abrangente do seu mapa natal, é importante levar em consideração: o próprio signo ascendente; os planetas que estão próximos a ele e seus aspectos; os planetas na casa 1 e seus aspectos; o planeta que o rege e seus aspectos, além do signo. 

E aquele papo do “depois dos trinta você se torna o seu ascendente”? 

Você já deve ter ouvido isso de algum amigo curioso e interessado por astrologia. Depois dos trinta anos é comum que você tenha mais autonomia para tomar decisões, sem levar muito em consideração a opinião dos outros. É natural que isso aconteça com a maturidade. Por isso, o que acontece na verdade é que conforme você vai amadurecendo, a tendência é que você fique em maior sintonia com o seu ascendente e não “se torne ele”, como dizem por aí. 

O ascendente é a chave para o nosso crescimento, já que evoluir nada mais é do que ascender! 

Gostou desse conteúdo, mas gostaria de entender mais a fundo as questões em torno do ascendente? Eu, Sérgio Pupo, espero por você no Curso Online de Astrologia da Cia dos Astros!

Ritmos na Astrologia: quais são e o que eles significam?

Você provavelmente já consegue identificar os signos através dos elementos da natureza, que são Fogo, Terra, Ar e Água. O interessante é que existe outro tipo de divisão na astrologia, chamada de ritmos, modos ou modalidades. Nesse post você vai conhecê-los e descobrir o que eles significam!

Essas divisões, traçadas pelo próprio zodíaco, são chamadas de triplicidades quando divididas por elementos e por quadruplicidades quando são divididas por ritmos: cardinal, fixo e mutável. Por que quadruplicidades? Os ritmos são divididos em grupos de quatro signos e podem nos indicar a nossa capacidade de adaptação às circunstâncias. Além disso, não por coincidência, eles estão ligados ao início, meio e fim de cada estação do ano. 

Muito bem, o que essas manifestações rítmicas significam então? Veja a seguir:

Cardinal (Áries, Câncer, Libra e Capricórnio)

Esse ritmo ou qualidade representa o início das estações, a cruz cardinal (relacionamento e independência) e a disponibilidade. Não à toa esses signos geralmente têm mais iniciativa do que os demais. Energia, coragem, pioneirismo, empreendedorismo e autenticidade.. 

Pessoas com muita ênfase em signos cardinais têm maior facilidade para iniciar projetos e para empreender, ou sair da inércia, abrindo seu próprio caminho!

Fixo (Touro, Leão, Escorpião e Aquário)

Esse ritmo ou qualidade representa o meio das estações, a cruz fixa (posse e poder).. São signos caracterizados pela convicção, afirmação, lealdade, confiabilidade, prestígio e realização, mas também teimosia e frieza. A tônica dos signos fixos é a energia da manutenção. Sua força emerge para manter aquilo que já está em curso 

Pessoas com forte ênfase em signos fixos tendem a demonstrar maior resistência e obstinação!

Mutável (Gêmeos, Virgem, Sagitário e Peixes)

Representando o fim das estações, a cruz mutável tem analogia com os finais de ciclo., e portanto sua especialidade é terminar, concluir projetos, empreendimentos, etc. Por isso mesmo, são signos que se adaptam com muito mais facilmente às situações e às mudanças que acontecem no ambiente, apresentando grande “jogo de cintura”, mutabilidade e versatilidade, mas também inconstância e… procrastinação (porque é no fim dos prazos é que conseguem seu melhor desempenho). 

Vale lembrar que todos nós possuímos qualidades não apenas do nosso signo solar ou do elemento onde este se encontra, mas para calcularmos o balanço de ritmos, precisamos incluir a posição de todos os 10 planetas e o Ascendente, conforme o ritmo de cada um. Na astrologia é fundamental analisar o todo, ou seja, o mapa natal em sua totalidade.

Curtiu esse post e quer saber mais sobre o assunto? Inscreva-se no Curso Online de Astrologia da Cia dos Astros

Planetas sem aspectos: e agora?

Recentemente você acompanhou aqui no blog um conteúdo muito interessante sobre aspectos planetários: o que são e o que eles indicam, e viu que eles mostram basicamente o modo de interação entre os planetas, com base no local onde estão naquele momento. Por outro lado, também existem planetas sem aspectos. Não é uma situação muito comum, mas acontece!

Por sem aspectos devemos considerar a ausência não só dos aspectos maiores, que já vimos aqui no blog, como conjunção, oposição, quadratura, trígono e sêxtil, como também os médios e os menores, que você verá mais adiante. 

Morin de Villefranche, um astrólogo francês, destacou em seus estudos que um planeta sem aspectos, principalmente Sol e Lua, os mais desafiadores, pressagia algo de insólito ou extraordinário em relação aos significado das casas astrológicas. Em outros estudos, aqueles planetas sem aspectos são vistos como uma conotação uraniana, ou seja, com um certo quê de genialidade! 

Análise dos planetas sem aspectos: é possível?

Essa é uma boa pergunta! Quando um planeta não forma aspectos com outros planetas, casas angulares, ascendente, descendente, fundo e meio do céu, nodos ou cúspides de outras casas, realmente, pode ser desafiador perceber o tipo de energia sugerida ali. Em contrapartida, podemos analisar se aquele planeta está em um signo de domicílio ou exaltação, por exemplo, e se essa energia se expressa de forma mais adequada às características do signo que rege. Além disso, pode ser que ele esteja em exílio ou queda. Nesse sentido, é possível saber como sua energia flui e o “palco” de sua atuação.

Vale lembrar que mesmo que um planeta não tenha aspectos, pode ser ativado por trânsitos, progressões, eclipses, lunações, entre outros, que ajudam a expressar suas potencialidades. 

Cada planeta sem aspectos carrega suas próprias peculiaridades. Sol sem aspectos, por exemplo, pode indicar que uma pessoa oscila entre ego centrado e desânimo ou desinteresse em interagir com os outros. A Lua sem aspectos, por sua vez, geralmente indica que uma pessoa tem dificuldades em se relacionar afetivamente, demonstrando frieza e distância em suas relações. 

As possibilidades são inúmeras e dependem muito da análise completa do mapa natal. E você, já parou para observar se existe algum planeta sem aspectos no seu mapa? 

Se você gostou desse conteúdo e ficou curioso para experimentar a descoberta de analisar um mapa natal, saiba que o Curso Online de Astrologia da Cia dos Astros espera por você! Nele você aprenderá de forma sistematizada e didática os fundamentos da astrologia, passando pelo significado dos signos, planetas, casas, aspectos, até chegar ao módulo de interpretação! Eu, Sérgio Pupo, espero por você! Acesse https://ciadosastros.com.br/ e aproveite!

Astrologia: por que estudar online?

O universo é uma dança cósmica que nunca acaba. Nela tudo está conectado: nascimentos, pessoas, relacionamentos, negócios e acontecimentos dos mais diversos tipos. A astrologia, por sua vez, é a música entoada pelos astros e orientadora dos passos de cada coreografia. É por isso que seu estudo é enriquecedor e repleto de significado! 

A astrologia é, antes de mais nada, o melhor caminho para quem busca o autoconhecimento! Para ela o homem é um produto da Terra e, portanto, um processo da natureza – assim como todos os demais. Dessa forma, também está submetido às leis do Cosmo. 

Com todos os acontecimentos dos últimos meses é impossível não se questionar sobre o sentido de tudo isso, tanto do ponto de vista individual quanto coletivo, não é verdade? Quem já tem um pouco de conhecimento sabe que a astrologia não faz adivinhações, mas sim aponta tendências e possibilidades, guiando cada um de nós para comportamentos mais positivos dentro de uma esfera específica. Isto é, ensinando que apesar dos eventos negativos há sempre caminhos possíveis para lidar com eles da melhor maneira possível! 

Ao estudar online você garante maior flexibilidade em seus estudos, já que pode assistir aos vídeos quando e onde quiser, pausá-los e retomá-los quando for possível, além de ser uma modalidade mais acessível em termos de custo-benefício: sem deslocamento, mesma qualidade de conteúdo, evidentemente bem estruturado, do que se fosse um curso presencial, por exemplo. Além disso, todos os módulos disponíveis no Curso de Formação em Astrologia da Cia dos Astros são profissionalizantes. Isto é, ao final do curso você terá um arcabouço para ser um astrólogo e atender, além de familiares de amigos, pessoas que procuram um caminho de autoconhecimento e compreensão sobre suas vidas (mapa natal). 

O que você estudará no Curso Online de Formação em Astrologia: 

1) Módulo Básico 

B1: Fundamentos da Astrologia – 20 aulas(*) – Já disponível aqui

A linguagem simbólica e seus significados; o que é astrologia; os os significados dos 12 signos, dos 10 planetas, das 12 casas, dos 4 elementos, dos 3 ritmos e das polaridades. 

B2: Mitologia da Astrologia – 17 aulas –  Já disponível aqui

Todos os mitos que fundamentam os significados dos signos e planetas. 

Obs: ao adquirir o B1 + B2 você tem um desconto super especial 

2) Módulo Intermediário – Pré-interpretação

I1: Interpretando os Planetas em Signos e Casas – 27 aulas 

Significados de todos os planetas nos 12 signos e nas 12 casas. 

I2: Interpretando Aspectos Planetários – 19 aulas Teoria dos aspectos; significados de todos os aspectos entre todos os planetas (66 combinações); significados dos planetas nos ângulos. Obs: ao adquirir o I1+I2 você tem um desconto super especial 

3) Módulo Intermediário – Interpretação 

I3: Entenda as Regências Astrológicas – 14 aulas 

Imersão no significado das 12 casas, identificando como o seu planeta regente influencia a área da vida relativa à ela. 

I4: Regras de Interpretação – 12 aulas (*) – Previsão: 2º sem. 2020

 Interpretação de mapas natais (passo a passo, regras, dominante, distribuição, princípios gerais e aplicações.) 

I5: Interpretação na Prática – 15 aulas (*) – Previsão: 2º sem. 2020

Interpretação de mapas natais (casas derivadas, regras de Morin, estratégias, prática e exemplos.) 

4) Módulo Avançado – Previsões Astrológicas 

Av1: Previsões usando Progressões – 12 aulas – Já disponível aqui

Tipos de progressões e como interpretar as previsões utilizando as Progressões Secundárias. 

Av2: Previsões usando Trânsitos Planetários – 12 aulas (*) – Previsão: 2º sem. 2020 

Como interpretar e prever usando trânsitos planetários dos planetas lentos (Júpiter a Plutão.) 

Av3: Revolução Solar – 12 aulas (*) – Previsão: 2º sem. 2020 

Como calcular e fazer previsões com a Revolução Solar. 

Av4: Mecânica Celeste e Cálculo – 8 aulas – Já disponível aqui

Os fundamentos astronômicos essenciais; como se calcula uma mapa astral; como configurar e utilizar o Solar Fire e um App gratuito e completo para tablets e celulares. 

5) Módulo Especialização – Disciplinas eletivas (opcionais e avulsas) 

E1: Pontos médios – 10 aulas – Já disponível aqui

Os pontos de influência entre dois planetas no mapa e seus significados.

E2: Mapa Composto – 12 aulas – Já disponível aqui

Como analisar a energia de um casal, dupla ou grupo de pessoas. 

E3: Sinastria – 12 aulas (*) – Previsão: 2º sem. 2020 

Como analisar o impacto de uma pessoa sobre a outra e vice-versa.

E4: Astrologia da Saúde – 8 aulas (*) – Previsão: 2º sem. 2020 

Técnicas para previsões e identificação de pré-disposições e doenças. 

E5: Astrocartografia – 12 aulas (*) – Previsão: 2º sem. 2020 

Influência da geolocalização sobre o mapa natal e seus efeitos. (*) número de aulas previstas – pode ser um pouco maior ou menor – a se confirmar no lançamento.

Cada vídeo aula tem em média de 50min a 1h20; cada disciplina é acessível por um ano após a compra, de modo que você pode revê-la e consultá-la quantas vezes quiser durante esse período. Eu, Sérgio Pupo, espero por você! Acesse e inscreva-se já: https://ciadosastros.com.br/  Dúvidas: contato@ciadosastros.com.br 

Mapa natal e o poder da escolha

O mapa natal de todo mundo sempre tem pontos fortes e fracos (tensões e contradições), que são inerentes a todo ser humano!

Viver com sabedoria implica em usar bem os pontos fortes e aprender a lidar com os fracos, e nisso a astrologia é insuperável. Tanto para nós quanto para o astrólogo, que orienta seus clientes.

Falando especificamente sobre as tensões e contradições, ambas geram eventos e situações em que o indivíduo tem a oportunidade de, por tentativa e erro, aprender a lidar melhor com elas. O que digo é que esses eventos geram experiências e, portanto, a oportunidade de aprender (ou não) com elas. Essas tensões sempre estarão lá, gerando uma tendência primária para comportamentos autodestrutivos. Diferente dos animais, o ser humano tem um nível de livre arbítrio maior, o que permite que ele obtenha – através do esforço – menos comportamentos autodestrutivos.

Em outras palavras, ao “levar na cabeça”, algumas ou muitas vezes, vamos criando um “calo” e uma autoproteção em busca de mudança. Vamos aprendendo a lutar contra a nossa natureza primária autodestrutiva. Então, sim, é possível mudar e “fazer do limão uma limonada”, mas não é imediato e nem fácil. É um processo no qual cada tentativa permite um pouquinho de avanço e às vezes um retrocesso para podermos avançar ali mais adiante! Vale lembrar que é sempre opcional! Por exemplo, se alguém tem um Plutão na casa 2, que significa entre outras coisas: poder, obsessão, profundidade, purgação, morte e renascimento em relação às questões ligadas à segurança material e ao que ele valoriza, há uma chance de ressignificar essas questões. Não que ocorrerá peremptoriamente, mas há uma chance real de profunda ressignificação ao longo da vida. Como disse, é um processo! Se com Plutão de 2 a perda material dói, é porque o apego é muito intenso. Então é aí que é necessário mexer. É aí que está tanto a ruína como a fênix e a total sublimação e cura dessa dor!

Para finalizar, vale lembrar que todos os grandes gênios da humanidade, aquelas pessoas que foram exemplos, ou que fizeram coisas fantásticas e deixaram um importante legado a todos, não tinham mapas natais cheios de trígonos e planetas bonzinhos e favoráveis. Tinham, sim, profundas contradições e tensões! Apesar disso, conseguiram feitos incríveis, porque voluntariamente escolheram trabalhar arduamente na mudança de seus comportamentos autodestrutivos! 

O fato de existirem contradições e tensões no mapa não é garantia de que a pessoa vai fazer coisas fantásticas na vida, mas revela que ela terá a chance de se esforçar para superar essas contradições! Ou não, porque a decisão será sempre pessoal…

Curtiu esse post? Eu, Sérgio Pupo, espero por você com muito mais conteúdos astrológicos no Curso da Cia dos Astros. Acesse http://ciadosastros.com.br/ e inscreva-se!

Astrologia: posso ser influenciado por outra pessoa?

Na vida, dependendo da nossa personalidade, é comum que sejamos influenciados positivamente ou negativamente por pessoas ao nosso redor. Você já parou para pensar se isso acontece também do ponto de vista astrológico? 

Na astrologia existem duas técnicas muito poderosas para analisarmos como funciona a interação e a dinâmica entre as pessoas. Uma é a Sinastria, que mede e esmiúça o impacto de uma pessoa sobre a outra e vice-versa. E a outra é o Mapa Composto, que diferente da Sinastria, que só pode ser aplicada a cada par de pessoas, pode ser aplicado a casais, sócios e até grupos com grande número de pessoas. Ambas as técnicas podem ser usadas ser feito tanto do ponto de vista pessoal quanto profissional!

É importante salientar que tanto a Sinastria como o Mapa Composto não determinam se um relacionamento dará certo ou não, mas apontam a dinâmica que acontece no casal ou no grupo, permitindo que possamos identificar onde estão as facilidades e onde podemos melhorar essas relações. Bacana, né?

A chave para analisar mais friamente tudo isso é ver a situação de fora, o que é garantido pelo astrólogo que realiza essas análises, avaliando todas as nuances apontadas pelos posicionamentos encontrados. 

Na Cia. dos Astros temos uma disciplina específica de Mapa Composto, que explica em detalhes desde como você pode calcular o mapa composto, até como e aplicar interpretar o mesmo. Olha ela aqui! E ainda nesse segundo semestre de 2020 iremos disponibilizar uma disciplina totalmente revisada falando tudo o que você precisa saber para dominar Sinastria astrológica. 

Às vezes você não tem vontade de se tornar um astrólogo, mas quer apenas entender melhor quem você é, como se expressa, como lida com os desafios e como é sua relação com as pessoas mais próximas. Por outro lado, as vezes você pode querer aprofundar seus conhecimentos nesta arte milenar e aprender de fato como analisar mapas natais, de relacionamento e até fazer previsões. São muitas as possibilidades e eu, Sérgio Pupo, convido você para mergulhar no estudo da astrologia comigo! 

Acesse https://ciadosastros.com.br e confira todos os módulos disponíveis. O curso é totalmente online e você pode estudar quando e como quiser!

O lado positivo e negativo de Mercúrio

Você já parou para observar onde Mercúrio está localizado no seu mapa natal? 

Na mitologia romana, Mercúrio é o mensageiro dos deuses e também o deus do comércio e das viagens. Não por acaso, na astrologia o planeta rege a comunicação e o intelecto! Por isso, no mapa natal sua localização representa exatamente onde cada um de nós tem mais facilidade de se expressar. 

Um Mercúrio bem posicionado, por exemplo, pode torná-lo ao longo da vida um excelente comunicador e gestor, influenciando sua capacidade de gerenciar equipes e até mesmo suas habilidades manuais.  

Pelo lado positivo, o planeta traz perspicácia, habilidades intelectuais e manuais, praticidade e diplomacia. Além disso, Mercúrio também estimula a curiosidade pela descoberta, pela cultura de forma geral, o prazer em se comunicar e uma certa habilidade camaleônica de se adaptar a diferentes tipos de situações. Esse é um apanhado geral do lado positivo de Mercúrio, mas é claro que tudo isso depende muito do posicionamento do planeta nos signos e casas do seu mapa natal. 

Já pelo lado negativo pode fazer com que você seja sarcástico, irresponsável e superficial. Lembra do bom comunicador? Com o planeta mal posicionado é justamente o contrário, a pessoa tende a falar demais e sem se fazer entender; a mente, ao invés de ficar aguçada, aqui pode ser dispersa. O interesse é que isso nos afeta já desde bebês. Uma criança com Mercúrio mal posicionado pode começar a falar tarde, por exemplo. 

De maneira geral, Mercúrio tende a não ser muito positivo nos signos de Água, ou seja, Câncer, Escorpião e Peixes. Isso porque pode haver um certo embate entre lógica e emoção. Como tudo tem um lado bom. Mercúrio em signos de Água em contrapartida, pode fazer com que as pessoas talvez consigam expressar mais a respeito do que sentem. 

O posicionamento de Mercúrio revela muito sobre a maneira como cada um de nós se expressa. Ao estudá-lo a fundo é possível compreender que algumas pessoas falam mais pausadamente, enquanto outras atropelam as palavras; algumas portam muitas informações e outras desejam profundamente absorver essas informações e assim por diante. Mercúrio tenso com Urano, por exemplo, pode muito bem ser um fator desencadeador de TDAH (Transtorno de Déficit de Atenção e/ou Hiperatividade)!

Gostou desse post, mas quer aprender mais sobre este planeta e os demais? Eu, Sérgio Pupo, espero por você no meu Curso de Formação Online em Astrologia! Acesse https://ciadosastros.com.br/ e inscreva-se! 

Os elementos e seus simbolismos

Desde que Aristóteles difundiu a ideia dos quatro elementos, usamos o Fogo, a Água, a Terra e o Ar para algumas orientações por analogias. Além disso, cada elemento possui características peculiares que podem nos influenciar de diversas maneiras. 

Na astrologia é possível assimilar conhecimentos dos mais variados sobre todos os signos do zodíaco, combinando simplesmente as características de cada elemento com as características de cada signo. Enquanto a Terra representa aquilo que é sólido e tem a ver com a nossa capacidade de realização, o Fogo é abstrato e espontâneo; age impulsionando nossas ações. Já o Ar é o sopro da comunicação e estimula nossa mente e linguagem, enquanto a Água carrega a fluidez das emoções, fazendo com que cada sentimento ganhe força dentro de nós. 

FOGO 

Esse elemento é abstrato e espontâneo; representa ação e criatividade. Pessoas com bastante elemento Fogo no mapa natal tendem a ser dinâmicas, otimistas, perseverantes, mas também agitadas, impulsivas e um pouco insensíveis. O elemento Fogo é o combustível de Áries, Leão e Sagitário! 

TERRA 

Pessoas com grande quantidade de Terra no mapa natal tendem a ser mais introspectivas, sensíveis, passivas e pessimistas. A racionalidade e o pragmatismo são uma marca importante desse elemento, que é a marca de Touro, Virgem e Capricórnio! 

AR 

O Ar é a força que impulsiona a linguagem e a comunicação e, por isso, é a força motriz de Gêmeos, Libra e Aquário. Pessoas que têm muito elemento Ar no mapa natal tendem a ser mentais, conceituais e pensam muito. 

ÁGUA 

O elemento Água é pura emoção e, por isso, sublinha os signos de Câncer, Escorpião e Peixes. Pessoas com muito elemento Água no mapa são mais emotivas, compassivas e empáticas; suas emoções estão sempre transbordando. Apesar disso, geralmente são contidas e não gostam de demonstrar impulsividade.

 Ao analisarmos o mapa natal de uma pessoa, na verdade, o que fazemos é o cálculo de todas as possíveis influências que os planetas, signos e aspectos têm sobre ela. O mesmo ocorre com os elementos, que quando ausentes ou presentes de forma excessiva podem causar gerar ou não certo desequilíbrio. 

Curtiu esse post, mas ficou curioso para entender tudo sobre os quatro elementos e suas influências no mapa natal? Inscreva-se no Curso Online de Astrologia da Cia dos Astros e dê início a essa jornada de incríveis aprendizados >>> https://ciadosastros.com.br/ 

Página 1 de 17