Categoria: Astrologia (Página 1 de 7)

A Lei das Correspondências na Astrologia

Segundo o conceito da Lei das Correspondências é possível fazer correlações que, a olhos destreinados e a quem não estuda Astrologia, podem parecer completamente sem conexão. Como, por exemplo, o que um oratório tem a ver com as possibilidades de viagens ou as chances de você vir a estudar em algum sistema filosófico diferente do que estava acostumado ou, ainda, entrar no meio acadêmico? Tudo isso tem a ver com essa lei no astrologuês!

Se em algum movimento planetário Júpiter é tocado dentro do seu mapa, todos esses assuntos surgirão de uma maneira ou de outra. É o que chamamos de efeito periférico, você não percebe de forma imediata, mas as coisas estão acontecendo ao seu redor até como um sintoma de um processo que lhe ocorre interna e externamente. 

Ao olhar para um mapa astrológico é importante lembrar que ele não fala apenas das questões psicológicas, mas também do ponto de vista mundano – aí que entra as questões periféricas, que para alguns pode parecer sem sentido ou sem poder de influência. Acontece que atingem, porque são sintomas externos de algo interno. Exemplo disso é o trânsito de Plutão, quando atinge alguns pontos cruciais do seu mapa: ascendente, Sol e Lua. Tomando isso como exemplo, o astrólogo, ao analisar o seu mapa, identifica aspectos depressivos, quadraturas e oposições difíceis. Você pode responder que não passou por situaçṍes difíceis internamente, porque não deprimiu ou perdeu alguém conhecido ou na família. Por outro lado, ao pensar melhor sobre as circunstâncias exteriores, pode acabar se recordando de vivenciar situações como: a empresa em que trabalhava ter falido, andar na rua e ver pessoas falecidas, passar por mudanças comportamentais, lidar com pessoas que tentaram forçar determinadas coisas, tudo isso pertence ao domínio de Plutão em lidar com vida e morte, grandes perdas e modificações que são irreversíveis. 

Esses efeitos periféricos são muito aplicados tanto para indivíduos quanto para situações coletivas em Astrologia mundana. O astrólogo estabelece a Lei das Correspondências, assim como é em cima é embaixo ou assim como na Terra é no Céu, e identifica determinados movimentos planetários que podem afetar coisas, objetos na sua casa e situações concretas na sua vida cotidiana, trabalho, lazer, relacionamentos e família. 

Em princípio, algumas correspondências astrológicas são:

SOL

O Sol pode corresponder a lareira da casa, porque é o centro de aquecimento do lar  e muitas vezes as pessoas giram em torno dela, como o Sol. Além disso, pode corresponder a sala da diretoria, das decisões de uma empresa; aos emblemas que as pessoas venham a receber devido a uma atitude nobre; ao ouro (metal); nas plantas, o Sol está ligado ao girassol; na casa ou outras instalações, ele está ligado ao sistema de iluminação. Logo, qualquer movimento planetário que atinja o Sol, também poderá atingir estes assuntos. 

LUA

A Lua está ligada ao ambiente em que você cozinha, ou seja, aos alimentos que nutrem a família; aos seus locais de armazenamento, a plantas e folhagens; ao leite; aos portos e embarcações. Nesta última correspondência vale a pena lembrar da semelhança no formato da lua e dos barcos (meia-lua). 

MERCÚRIO

Mercúrio está ligado aos aparelhos eletrônicos e as comunicações. Um aspecto difícil, como uma quadratura ou uma oposição dentro do mapa por um trânsito ou progressão, pode interferir no funcionamento do seu telefone ou na transmissão de rádio, por exemplo. Também corresponde a livros e aos óculos de leitura.

VÊNUS

Vênus é um planeta que pode ser associado tanto a uma caixa de maquiagem quanto a adornos, aquilo que embeleza, deixa contente, satisfeito e festivo. Os instrumentos musicais, o cantinho onde você escuta música e obras de arte, também estão dentro do circuito de correspondência de Vênus.

MARTE

Academias e aparelhos de ginástica; armas de fogo, armas de adorno (espadas); ferramentas em geral; locais de competição e motores estão dentro do circuito de correspondência de Marte. Dessa forma, se há previsão de algum trânsito danoso ou difícil em Marte, é recomendado fazer uma manutenção preventiva no seu carro, por exemplo.

JÚPITER

Lida diretamente com cavalos, oratórios, objetos religiosos, igrejas, catedrais, estradas, ônibus e outros tipos de transportes coletivos e também os pesados, caminhões, vãs. 

SATURNO 

São as estruturas, muros e pilares. Saturno também lida com a geladeira, com aquilo que esfria, que deixa congelado. Não à toa ele rege coisas frias! Roupas pretas também podem ser citadas como saturninas. O planeta também tem a ver com quedas; na história mundial é possível verificar a relação de Saturno com a queda do muro de Berlim – oposição difícil de Júpiter junto com Netuno e Urano – e também a queda das torres gêmeas, quando Saturno e Plutão estavam opostos. Em geral, isso implica sempre em um processo destrutivo para dar lugar ao novo: bom ou ruim. 

Curtiu o nosso breve resumo sobre a Lei das Correspondências? Mergulhe nesse universo riquíssimo chamado Astrologia, conheça o nosso curso >>> https://ciadosastros.com.br/


Aprenda astrologia melhor e mais fácil

O estudo da astrologia parece muito complexo para quem começa, mas quando ele é feito de maneira gradual, lógica, sistemática e passo a passo não é complicado. É como se você estivesse aprendendo a falar uma língua e compreendesse aos poucos o que é verbo, sujeito e predicado. 

A complicação começa se você troca de um curso para outro ou estuda sozinho, sem cumprir as etapas necessárias no currículo astrológico antes de ir adiante. 

Ao fazer toda sequência de estudos, do básico –  os signos, suas características e traços; planetas – as faculdades da alma ou eventos gerados por ele; as casas astrológicas – áreas da vida onde as coisas acontecem; ao intermediário – a posição de um signo ou planeta numa casa, depois a junção dos signos, planetas e áreas da vida, os diálogos dos planetas e suas funções planetárias, aspectos, a ligação entre as casas por regência; até finalmente o avançado, período no qual você lida diretamente com as técnicas de previsão. O estudo astrológico, dessa forma, é concatenado e, por isso, fácil de ser compreendido!

O Curso de Formação Online da Cia dos Astros é o único curso que oferece essa sequência, do básico ao avançado, em astrologia! Tudo isso de forma costurada e ordenada, facilitando o seu aprendizado!

MAIS VANTAGENS EM ESTUDAR COM A CIA DOS ASTROS 

💜 Formação completa dividida em módulos

💜 Materiais complementares

💜 Bônus que enriquecem seus estudos

💜 Webinários para responder suas dúvidas

Clique aqui e faça sua inscrição: https://ciadosastros.com.br/ 

7 dicas para aprender astrologia

Muitas pessoas questionam a facilidade ou dificuldade em se aprender Astrologia, acreditando que é um estudo muito hermético. Outros acreditam que é algo muito fácil. Estes, geralmente, leem um livro durante um mês e já se consideram astrólogos, acham que ganhar dinheiro nesse ramo é fácil, dando aula, principalmente na internet, sob a justificativa de que a Astrologia não é um estudo legítimo ou genuíno.

A boa Astrologia é aquela que funciona e, nesse aspecto, é importante atingir resultados. A finalidade deve ser a de  demonstrar que a prática realizada por astrólogos realmente funciona, não apenas na resolução de problemas do dia a dia, mas também na compreensão de problemas internos e expressões comportamentais, por um viés mais psicológico. A seguir, confira algumas dicas para estudar astrologia!

1) Como aprender astrologia?

Existem muitas maneiras de aprendê-la! Nos anos 80 e 90, por exemplo, o estudo autodidata era muito comum. Claro que, mais adiante, essas pessoas tiveram que se aperfeiçoar, mas é um dos caminhos possíveis, principalmente a partir da troca com outros astrólogos mais experientes nessa jornada. Isso pode ser feito através da leitura de livros, palestras e internet. Por outro lado, o grande desafio nesse caminho é conseguir unir tudo isso de forma sequencial sem ficar confuso em relação às múltiplas possibilidades.

Dessa forma, fazer um curso já montado previamente por astrólogos experientes pode ser a melhor opção para entender os conceitos de forma clara e sequencial.

2) Astrologia na internet: vídeos gratuitos

Claro que é possível aprender diversos conteúdos de forma esporádica, mas caímos sempre na questão do aprendizado sequencial. Evidentemente, depois de assistir um conteúdo ou outro, faltarão pedaços importantes na compreensão de determinado assunto ou tema. O estudo orientado e aprofundado é o ideal!

É importante destacar a necessidade da leitura específica do mapa natal, o que não ocorre em vídeos genéricos. Por isso, é comum que algumas pessoas não se identifiquem com as características do seu signo solar. Uma leitura aprofundada é essencial, portanto, na compreensão de qualquer conceito na Astrologia. Cada caso é um caso!

Assim como os vídeos na internet, a função dos antigos jornais e revistas de horóscopo também tem sua relevância, e disponibilizam boas informações, mas se você realmente pretende estudar a Astrologia e utilizá-la para si, para seus projetos pessoais e profissionais, o recomendado é um curso. É preciso, então, sempre comparar e confrontar esses materiais com a prática que você tem: caso a caso, ao verificar as configurações astrológicas no mapa individual ou ao verificar uma situação coletiva.

3) A necessidade de leitura

Para estudar Astrologia é fundamental que haja uma leitura aprofundada e a familiaridade com a forma como os conceitos são abordados pelos mais diversos astrólogos, mesmo que conflitantes. Isso ajuda você a fazer uma síntese própria!

Ninguém consegue memorizar tudo só de ouvir, apenas pessoas realmente diferenciadas. Por isso, as diferentes possibilidades de leitura são importantes para atingir a excelência no conhecimento. Então, se você vai estudar Astrologia, não adianta apenas ouvir o que astrólogos consagrados dizem a respeito de determinados assuntos e sair por aí repetindo como um papagaio o que eles disseram. Sabemos que cada caso é um caso e uma pessoa de Áries pode ser tanto agressiva quanto um doce de pessoa, depende muito da configuração do mapa. É como analisar uma impressão digital!

Por isso, outra característica importante para quem deseja estudar Astrologia é gostar de ler. Do contrário, essa pessoa será um astrólogo muito superficial.

4) Funcionamento distinto das chamadas ciências exatas

A Astrologia não funciona da mesma maneira que as chamadas ciências exatas. Há diferentes manifestações para uma mesma situação, como a mencionada anteriormente sobre Áries. 

Uma pessoa com Saturno na casa 10, por exemplo, pode ter várias experiências de fracasso e outra pessoa, por sua vez, pode ter um ou duas delas e depois comandar grupos de pessoas com mãos de ferro ou certa tolerância. Tudo isso depende do restante do mapa! Não há uma receita de bolo para as diferentes nomenclaturas. É muito mais fácil fazer a comparação de diferentes perspectivas como um todo, ou seja, através do mapa natal. Entender em partes é entender superficialmente e, dessa forma, não é o suficiente para um bom astrólogo.

5) O tempo e a variedade na Astrologia

O tempo e a variedade da aplicação dos conceitos em diferentes casos é fundamental. Quando você obteve sucesso numa determinada interpretação não há garantia de que ocorra o mesmo em outras situações. 

É mais fácil sedimentar suas convicções com a prática de lidar com a outra pessoa, oferecendo a chance dela se expressar e, com o tempo da consulta, mostrar que o que ela disse diz respeito justamente a uma característica que você mencionou anteriormente, no começo do seu atendimento.

Dê tempo a si mesmo para captar todas as nuances e absorver a profundidade e experiência conforme a sua própria linguagem. Em seis meses de estudo, apenas, isso não é possível.

6) Nenhum sistema é superior a outro

Não caia no erro de achar que determinado sistema ou autor é superior a outro. O domínio de cada modo de aplicar a Astrologia é o que importa na hermenêutica!

Tente fazer um contraponto entre os diferentes materiais, porque sempre haverá algo de pertinente e não desqualifique o estudo que alguém demorou décadas para fazer e concluir. É como se fosse um idioma, o português, o inglês, o espanhol e outros funcionam e isso é que importa!

Em astrologuês, sistemas diferentes podem atingir o mesmo resultado. O símbolo ultrapassa a linguagem utilizada!

7) Treine muito, tenha dúvidas, não seja preconceituoso

Esteja aberto às diferentes formas de visão! Leia de tudo, seja informado, mergulhe em diferentes ciências reconhecidas: filosofia, história, antropologia, física, geografia, geologia e em tudo que puder, não apenas para ter uma linguagem adequada, mas também para que você possa repensar algumas das suas certezas!

Lembre-se que o conhecimento que dá resultado é aquele que sintetiza contrapontos. Isso garante uma leitura de mapa natal muito boa e de mundo, melhor ainda. 

Curtiu esse conteúdo? Fique de olho nos próximos posts e conheça o nosso Curso Online de Formação em Astrologia: https://ciadosastros.com.br/ 

Memórias do ponto de vista astrológico

Há basicamente três níveis de memória do ponto de vista astrológico, baseados na Lua, em Mercúrio e em Saturno.

A Lua no mapa astral, por exemplo, representa as emoções. Por isso, quando o assunto é memória, ela fala de tudo ligado às emoções e impressões recebidas, de alguma forma, que ficaram gravadas em nós. Quando vivemos uma situação é a Lua que registra tudo o que foi sentido e despertado por determinado tipo de acontecimento.

A memória relacionada a Mercúrio é completamente diferente da memória relacionada à Lua. Quando falamos da memória de Mercúrio, falamos de uma memória isenta de emoções. Em primeiro lugar, Mercúrio rege os signos de Gêmeos e Virgem. Quando nos referimos à memória mercuriana de Gêmeos, estamos falando de todas as informações que captamos, guardamos e recorreremos, quando necessário. Quando se estuda para uma prova, por exemplo, é Mercúrio que cataloga as informações. Além disso, ainda pelo lado de Gêmeos, também existe a memória dos deslocamentos, ligada aos nomes das ruas, das pessoas, dos caminhos pelos quais percorremos, quais são mais rápidos, etc. Isso também tem um pouco a ver com Virgem, muito embora a curiosidade de buscar a informação seja de Gêmeos.

Do ponto de vista da memória mercuriana de Virgem, podemos relacionar à precisão ou inteligência do movimento, entre outras coisas. Basta pensar numa pessoa que realiza movimentos mínimos e precisos, como um pianista, por exemplo. Aqui vamos encontrar a técnica do pianista que estuda uma obra e sabe qual a movimento que deve ser executado a cada milisegundo para tocar a nota desejada. Além disso, Mercúrio do ponto de vista Virgem está ligado a forma como se guarda a memória, ou seja, toda vez que se executa algum movimento automático, desde escovar os dentes até coisas mais complexas do cotidiano, isso está ligado a Mercúrio. Dessa forma, a inteligência de Mercúrio identifica o caminho, a sequência e o movimento mais rápido e eficiente a ser realizado.

Já a memória ligada a Saturno funciona por acumulação de experiências. Trata-se de uma memória que acumula erros e acertos ao longo da vida e que permite identificar o que foi feito corretamente ou não. Às vezes, essa memória tem a ver com experiências muito dolorosas, já que Saturno busca excelência, e, portanto, é muito crítico com os erros, o que pode nos travar, por assim dizer, deixando um rastro de preocupação ou insegurança de fazer e dar errado novamente. O que pode ser feito, então? Podemos usar a experiência passada para fazer algo diferente e melhor.

Achou esse post muito curtinho? Conheça o Curso de Formação em Astrologia da Cia dos Astros: www.ciadosastros.com.br

 

Como funciona o Mapa Composto?

Todo mundo já ouviu falar de Sinastria, mas nem todos sabem como funciona um Mapa Composto, embora ele seja extremamente assertivo. Para que você entenda como funciona a dinâmica do mapa composto é importante pensar no seguinte: quando duas pessoas estão juntas existem dois mapas natais diferentes, mas quando elas interagem existe uma energia resultante da soma destes mapas.

A Astrologia consegue medir a interação entre dois mapas astrológicos, mostrando de que forma essas energias se encaixam, a partir do cálculo dos pontos médios dessa interação de pessoas. Esse cálculo pode ser feito para amigos, casais, mas também combinando diversos mapas.

Vamos supor que duas pessoas estejam interagindo e, de repente, chega um terceiro indivíduo. Quando isso acontece há uma mudança na forma de interação, já que em vez de dois mapas passam a existir três. Dessa forma, a energia na dinâmica de grupo também é modificada. Se chegar uma quarta pessoa, a média dessas energias também vai mudar. Outro exemplo de situação é quando você está em um local com algumas pessoas e uma delas vai embora. Dependendo da energia daquela pessoa, o ambiente fica mais ou menos triste, animado, entre outras coisas.

A Astrologia possui uma técnica específica para medir a interação de mapas, tanto para casais quanto para grupos, possibilitando o entendimento das energias combinadas. Achou esse conteúdo muito curtinho e quer saber mais? Conheça o Curso de Formação em Astrologia da Cia dos Astros: https://www.ciadosastros.com.br/

Progressões secundárias: Lua progredida em quadratura com Vênus Natal

A técnica de progressões secundárias é uma das muitas técnicas astrológicas utilizadas para compreender as mais diversas situações. Nas progressões secundárias, por exemplo, a Lua assume um fator preponderante, podendo ter efeitos muito mais rápidos do que toda a gama planetária no mapa natal.

Você pode, por exemplo, selecionar a Lua progredida em quadratura com Vênus para análise. Trata-se de um aspecto difícil, que fala sobre os relacionamentos. É possível saber como são as trocas e partilhas, se o relacionamento é baseado na troca de amor e afeto ou se há outros tipos de partilha, como nas relações de contrato. Sob um aspecto tenso, como no caso de uma quadratura, normalmente haverá algum ponto de dificuldade ou bloqueio. Alguns podem ter até algum colapso na relação, claro que para que isso ocorra a relação já deve estar desgastada. Nesse sentido, alguns relacionamentos chegam ao fim, outros precisam ser recondicionados. Também podem ocorrer dificuldades com os parceiros de afeto, curiosamente isso também vai atingir outros níveis, para além dos relacionamentos. De que forma? Fisicamente, ou seja, o corpo também será atingido ou os objetos que você utiliza no dia a dia.

Vênus pode revelar uma vulnerabilidade – lembrando que vulnerabilidade não é fatalidade – no aparelho reprodutor interno, rins ou região lombar, por exemplo, que são áreas propensas a problemas quando você passa por uma Lua progredida em quadratura com Vênus. Outras situações possíveis de se vivenciar são as de lentidão em contratos, pactos ou dificuldades de formular acordos. Algumas pessoas podem ter dificuldades com mulheres mais novas, porque Vênus está ligado ao feminino, ou ainda mulher bonitas, já que o planeta também está ligado a estética. Outros terão dificuldades com librianos ou taurinos – lembrando que se trata da ênfase, não do Sol. Pode ser Sol, Lua, Ascendente ou outros planetas. A dificuldade preponderante será a de entrar em acordo.

O Curso de Formação em Astrologia da Cia dos Astros demonstra como esse aspecto pode afetar outras instâncias da sua vida, ou seja, como essa quadratura da Lua com Vênus pode atingi-lo em relação aos seus filhos ou processo de criação, entre outras coisas.

Curtiu esse conteúdo? Ele é só uma prévia do que você vai estudar em Progressões no nosso curso! Saiba mais: www.ciadosastros.com.br

Futuro: como você lida com ele?

O futuro é um assunto bastante interessante e curioso, mas o que será que a Astrologia diz sobre ele?

Algumas pessoas se programam para a vida lá na frente; “ah, eu vou me aposentar aos 65 anos”, “vou viajar para tal lugar daqui a 5 anos” ou “vou mudar de casa daqui a 2 anos”, por exemplo, são afirmações bem comuns de se ouvir. Por incrível que pareça essas pessoas planejam, programam e conseguem esses projetos de vida com muita facilidade. São pessoas que têm foco e clareza no futuro e executam seus projetos, passando longe do abstrato do “quem sabe um dia”.

Por outro lado, existem aquelas pessoas que costumam usar a expressão “o futuro a Deus pertence”, “um dia”, “eu ei de conseguir” e por aí vai. Como se o futuro fosse algo sem forma, muito vago e a mercê do acaso, do destino e das circunstâncias, fazendo com que elas se sintam direcionadas para este tipo de percepção, porque estão com outro foco na vida.

Existem também aquelas pessoas que jogam possibilidades, ações e tudo o mais lá pra frente, do tipo “quando der, eu faço”. Ações essas que elas teriam a perfeita condição de fazer no momento presente.

Também existem as pessoas que estão extremamente envolvidas com o momento presente, com o imediato. Por isso, tendem a ter uma vida acelerada, com muitas emergências, de modo que elas não têm condições de se imaginar no futuro. Isso pode ser explicado pelas situações vividas, que as trazem sempre para o instante, o agora, o presente.

Esse assunto é abordado pela casa 11 – através dos signos, planeta regente e outros planetas – que mostra como a projeção do futuro funciona na vida de uma pessoa. O tema faz parte do Curso de Formação em Astrologia da Cia dos astros: www.ciadosastros.com.br

Necessidade e desejo do ponto de vista astrológico

A Astrologia trata de temas bastante variados e interessantes, não é verdade? Neste post vamos falar um pouco sobre as diferenças entre a necessidade e desejo, do ponto de vista astrológico.

Quando estamos num estado de necessidade é comum sermos invadidos por uma sensação de urgência, causada pela desnutrição ou carência de algo. Claro, afinal está faltando alguma coisa. Por isso, é comum que se procure por uma pessoa, relação ou um trabalho que preencha essa lacuna. A necessidade reflete o estado de estar em pedaços, em partes, e buscar por algo que preencha o que está em falta.

O desejo não é a necessidade de algo, mas reflete o estado de busca por prazer. O ser aprecia fazer algo que lhe proporcione essa sensação, como o simples fato de estar com alguém, por exemplo. Não é uma situação em que você PRECISA daquilo, diferente da necessidade. No entanto, quando ela ocorre, o prazer invade. O desejo irradia gratificação, alegria e suavidade.

Na linguagem astrológica ou no famoso astrologuês, a necessidade está ligada a Lua. E Vênus, por sua vez, ao desempenho do desejo, do prazer ou da satisfação. Mas na Lua não há escolha, apenas necessidade. Já em Vênus a situação é diferente, porque existe o poder da escolha. Você pode escolher fazer isto ou aquilo, já que está em busca de algo que lhe proporcione satisfação. Por isso, é interessante vermos no mapa natal o estado em que está a Lua e a Vênus, por signo, por casa e por estado dos outros planetas. O intuito é saber como se dá a busca por necessidade e por desejo, pelo poder de escolha, além de saber se as nossas necessidades são atendidas e se fazemos escolhas bem feitas.

Gostou desse tema e quer saber mais? Venha saber mais sobre o Curso de Formação em Astrologia da Cia dos Astros: www.ciadosastros.com.br

Ferramentas comportamentais: Marte

Uma das coisas mais interessantes no estudo da Astrologia é fazer uso de ferramentas comportamentais, algo que funciona quase como uma ‘magia’ astrológica. Como isso é feito e do que se trata? São atitudes adotadas em conformidade com o que de melhor se pode extrair de um período da vida, mesmo quando ele indica dificuldades. Tomemos como exemplo uma fase em que o planeta Marte está sob algum tipo de tensão (formada por aspectos tensos enviados por trânsitos ou progressões ou outra técnica de previsão): quando tal coisa ocorre com esse planeta, que lida com a sua agressividade e a dos outros, assim como com a necessidade de movimento e de sair da inércia, podemos intensificar nossas atitudes, nos tornarmos mais irritados ou lidarmos diretamente com pessoas rudes. Também podemos sofrer pequenos ferimentos, como quando nos distraímos ao cortar pão ou manipular alimentos e panelas quentes na cozinha, fazendo a barba e até mesmo  queimaduras com cigarro ou incenso. Esses “efeitos colaterais” são comuns com o trânsito de Marte. Entre outros efeitos, podemos pensar que é um período no qual somos desafiados, talvez por outros que nos provocam de algum modo alegando covardia ou falta de capacidade, por exemplo. Nesse contexto a necessidade de responder à altura e prontamente, algo bem característico do comportamento marcial, é bem evidente. A dica é recuar neste momento! Se alguém o apelida de um adjetivo que você sabe que não condiz com quem você é, qual a necessidade de retrucar? Procure contornar a situação, talvez passando a contenda a uma terceira pessoa que não esteja envolvida no problema e não sinta tamanha necessidade de uma resposta intensa, como no seu caso.

Claro que se você ficar encurralado, obviamente, não haverá alternativa a não ser responder. Provavelmente o provocador merecerá a bronca, mas o quanto for possível será melhor manter a distância. Enquanto Marte está aflito por aspectos tensos, não temos a mesma desenvoltura em competições ou enfrentamentos.

Neste período é importante evitar se colocar em situações reconhecidamente perigosas como esportes radicais, por exemplo, que exigem uma revisão de equipamentos de segurança. O ideal é fazer uma revisão bem severa de tudo antes de partir para a ação, caso você não consiga evitar se expor a esses riscos e isso inclui transitar por locais também reconhecidamente perigosos. Não convém contestar autoridades policiais, militares, nem entrar em discussões no trânsito. O que puder evitar, não pense duas vezes: evite, contorne e recue.

Outra dica é respirar fundo antes de lidar com situações estressantes, isso dá tempo para o seu sistema nervoso sedimentar os acontecimentos. Faça quase como se fosse um bom exercício de Yoga; inalando e retendo o ar lentamente algumas vezes. Isso acalmará e permitirá um raciocínio mais claro e uma ligeira redução dos batimentos cardíacos dos mais afoitos. As atividades físicas são sempre aliadas, quando realizadas de forma moderada. Não exagere nessa época com exercícios intensos, já que eles podem resultar em alguma pequena lesão.

As ferramentas comportamentais são bastante úteis e oferecem resultados muito bons para o enfrentamento de fases complicadas, como a mencionada neste post. Gostou desse conteúdo e quer saber mais sobre o assunto? Conheça o Curso de Formação em Astrologia da Cia dos Astros: https://www.ciadosastros.com.br/

O que a analogia do navio diz sobre cada um de nós

Você certamente já deve ter ouvido falar sobre a Lei da Atração e de que forma ela pode mudar a sua realidade. Isso remete a um assunto já mencionado em outra oportunidade (Canal do Youtube), que falava sobre progressões, trânsitos e usava a interessante e pertinente analogia do navio.

A primeira vez que tomei conhecimento dessa analogia foi a partir de um astrólogo de São Paulo, Maurício Bernis, que discorreu sobre trânsitos e progressões em sua palestra. A partir daí, comecei a aprofundar os conceitos envolvidos e decidi compartilhar com vocês! Preparados?

Cada um de nós internamente e individualmente somos uma espécie de navio. Esse navio tem diversas características pessoais, que são dadas de acordo com o mapa natal: pode ser que o navio seja rápido, cargueiro, uma lancha e por aí vai. Todas as potencialidades desse navio estão lá no mapa natal, momento do nascimento.

Em primeiro lugar é preciso avaliar as suas condições internas, verificando qual era o projeto de inicial de sua construção. Imagine que você é esse navio e pense a respeito do seu projeto: quantas cabines foram pensadas, qual o tamanho da tripulação, quanto combustível ele armazena, entre outras coisas. Tudo isso são os seus potenciais, que dependem do seu esforço e desempenho para desenvolvê-los.

Existem forças muito fortes atuando dentro no navio, que influenciam diretamente nesse desenvolvimento. Por isso, mesmo que você tenha potenciais que tenham sido indicados pelo mapa natal, precisa trabalhar arduamente. Pode ser, por exemplo, que você não cuide adequadamente do casco do navio, esqueça de abastecer de combustível em alguma viagem e, além disso, podem acontecer problemas que interfiram no seu modo de navegação. Da mesma forma, pode ser que você faça revisões frequentes, implementando melhorias. Assim é a nossa vida internamente, podemos deteriorar ou melhorar nós mesmos e também podemos fazer com que o navio apodreça, caso não façamos nada.

Ao mesmo tempo em que há essas forças internas, também há forças externas. As variáveis estão muito presentes; o mar que esse navio navega é calmo, agitado, tem ventos, tem algum navio próximo, navios inimigos, navios amigos, que indiquem novas rotas interessantes para você seguir? O resultado do destino desse navio é a somatória das duas forças, interna e externa.

Imagine a seguinte situação: o cenário externo é favorável para que você faça uma viagem tranquila, sem que ninguém atravesse a sua rota, soprando um vento a favor da direção que você deseja, mas internamente o combustível só dá pra chegar até metade do caminho, a tripulação se rebelou, não obedece mais às ordens do capitão, além de haver um vazamento no casco. Provavelmente será muito difícil chegar até o seu destino. Se as condições internas do seu navio estão muito deterioradas, a maior probabilidade é a de que você não chegue até o próximo porto.

Agora imagine um mar revolto, com um navio se aproximando para atacá-lo, com canhões na sua direção, uma tempestade horrível surge, mas internamente você se preveniu. Reforçou a estrutura do navio, instalou canhões como defesa, tem um rádio de longo alcance para contatar navios amigos e pedir ajuda. Com isso, a probabilidade de chegar ao destino é muito maior do que na situação anterior, mesmo com esse cenário externo conflituoso.

Ainda dentro dessa analogia, podemos pensar: será que eu, dentro do navio, estou vendo tudo que está acontecendo ao meu redor? Culpando Deus por mandar a tempestade, os navios inimigos que estão me atacando? Será que eu tento interferir nesse cenário externo ou estou preocupado em reforçar a minha realidade interna?

A realidade interna é, em primeiro lugar, o mapa natal (suas potencialidades); o projeto do navio. Em segundo lugar as progressões, que mostram em que fase de vida você está. Você pode usá-las mesmo que elas sejam tensas para enfrentar turbulências no futuro.

Outro aspecto é o ambiente externo, os trânsitos e revolução solar, coisas que não dependem de você; elas vão acontecer quer você esteja bem ou mal internamente. Exemplo: tripulação descontente ou rebelde. Será que você está harmonizado internamente para lidar com isso? Você estudou, se preparou, fez poupança ou se preveniu de alguma forma para enfrentar possíveis turbulências?

A analogia do navio serve para nos mostrar que somos nós os responsáveis por criar a nossa própria realidade, claro que com limitações. No entanto, se nos preparamos internamente, teremos condições para enfrentar adversidades e turbulências. Por isso, a recomendação para este ano é se fortalecer internamente!

Aproveite 2019 para reforçar o seu navio. Não seja vítima das adversidades externas, mas use o seu livre-arbítrio para criar a realidade de dentro para fora. Use seus potenciais, experiências, tudo o que construiu paulatinamente para alcançar mares mais tranquilos e situações favoráveis na sua vida! O mérito de sair da área de tempestade está ligado ao quanto trabalhamos internamente, trabalhe e chegue lá!

A astrologia pode ajudar cada um de nós a entender as questões ligadas ao nosso mapa natal, o momento que estamos enfrentando; indicado pelas progressões, e que nos ajudam a prever o início e término de cada período da nossa vida. Além disso, os trânsitos oferecem um panorama de quando vão surgir acontecimentos difíceis externamente. Quando cruzamos todas essas informações é possível compreender a realidade que nos cerca. Não à toa, a astrologia é realmente apaixonante!

Quer entender melhor sobre esse universo maravilhoso? Conheça o nosso Curso de Formação em Astrologia: www.ciadosastros.com.br

Página 1 de 7