Categoria: Mapa astrológico

O uso das órbitas na interpretação dos aspectos

É muito comum quando se lê um mapa ou quando se estuda astrologia ficar se perguntando sobre a órbita dos aspectos, ou seja, aquela tolerância que é preciso dar na leitura dos ângulos formados pelos planetas dentro do mapa de nascimento ou numa técnica de previsão. 

No mapa de nascimento esses ângulos são formados por figuras estáticas, se comunicando através dos ângulos: conjunções, sextis, quadraturas, trígonos, oposições. Normalmente, os aspectos que têm uma graduação ou tamanho específicos, como o trígono (120º), funcionam ainda que não estejam precisamente no ângulo de sua origem. Um trígono pode funcionar, então, com 120 graus e alguma coisa ou com 110 e algo a mais, por exemplo. Há uma tolerância para frente e para trás, portanto, entre os aspectos. Como identificar graficamente isso no mapa e qual a implicação disso na leitura do mapa natal: o aspecto fica mais forte, mais fraco?

Em princípio vale dizer que a precisão do aspecto é medida pela proximidade com o grau em que ele forma no mapa natal. De qualquer forma, a potência do aspecto deve ser relativizada, já que ela pode ser dissipada em função das dignidades planetárias dos planetas envolvidos nessa relação angular. Então, se por exemplo, a Lua – domiciliada no signo de Câncer e exaltada em Touro – faz um trígono exato de 120º com Saturno, ele terá uma força muito grande. Geralmente o impacto disso na vida do indivíduo diz respeito ao recebimento ou gerenciamento de recursos, com uma possibilidade maior de acúmulo do que de gasto. Dessa forma, a capacidade gerencial da pessoa melhora, assim como sua reputação e capital social. Isso é um efeito comum nesse tipo de aspecto!

Porém se o trígono for formado com uma órbita de 6º, por exemplo. Ou seja, em vez de 120º exatos, a distância angular entre eles for de 114º ou 126º (o que resulta numa diferença para o aspecto exato de 6º – por isso dizemos órbita de 6º). Então teremos um alargamento da distância entre o grau exato e o grau em que estão os planetas. Isso em tese enfraqueceria os aspectos. Por outro lado, como ambos estão fortes (domicílio e exaltação), é difícil que essa configuração revele um aspecto fraco, muito pelo contrário! 

Caso esses mesmos planetas estejam em signos em que não fiquem tão poderosos, a situação muda de figura. Se o trígono ou um dos aspectos não forem exatos, ele terá sua potência relativamente diminuída. Como seria o caso da Lua em Aquário, onde ela não tem dignidade, e Saturno em Sagitário. A Lua faz um sextil de Aquário pra Sagitário, um aspecto de 60º, e o efeito disso é sempre muito favorável, mas se a órbita estiver um pouquinho maior que zero, já perde um pouco de sua potência. 

É importante lembrar que cada mapa é um caso! Graficamente é possível verificar cada uma dessas situações no mapa natal em análise – como feito no vídeo no Youtube. 

Para saber mais sobre este assunto, conheça o Curso Online de Astrologia da Cia dos Astros: https://ciadosastros.com.br 


O descendente no mapa natal

Quando enfrentamos situações de vida de qualquer natureza – pessoal, profissional ou financeira existem quatro pontos ou ângulos que se apresentam para nós. O meio do céu e o fundo do céu revelam as circunstâncias externas e internas com as quais nos deparamos durante essas situações, como você viu nos posts anteriores.

Diante de qualquer cenário que apareça em nossas vidas existe um ponto crucial que completa esse jogo: os outros, aqueles que surgem exatamente no meio de uma situação e nos dão força ou atrapalham. Esses outros são descritos no mapa natal pelo descendente, a ponta da Casa 7. Essa casa mostra que tipo de outro, ou seja, que tipo de pessoa surge na vida de cada um de nós. Confira alguns exemplos!

Vênus na Casa 7 (domiciliado) é o melhor planeta para se ter nesta casa. Por isso, os outros são pessoas que amenizam as circunstâncias, proporcionando conforto.

Já Saturno na Casa 7 traz um outro que impõe limites, exigências e chama atenção para erros e riscos. São pessoas que nos forçam a cautela diante das situações para a tomada de providências de uma forma mais conservadora, nos travando de alguma forma.

Exemplificando com um signo, Áries na Casa 7 revela um outro que entra na nossa vida para estimular, dar força, acelerar, forçando a superação de medos e limites.

Curtiu esse post, mas achou muito curtinho e ficou curioso pra saber mais? O Curso Online de Astrologia da Cia dos Astros foi feito para você, saiba mais: https://www.ciadosastros.com.br/

Como funcionam os planetas lentos no mapa natal

Frequentemente alguém pergunta como funcionam os planetas muito lentos no mapa natal, quando estão em algum signo do zodíaco. A presença de Urano, Netuno ou Plutão, por exemplo, em determinado signo, não causa uma ação imediata ou direta no comportamento de uma pessoa.

Quando Plutão está em Capricórnio, por exemplo, é comum que as pessoas digam “agora vai ser assim ou daquele jeito”. Na verdade, o comportamento exercido será o de massa, de população e não algo muito individual.

A posição dos planetas nos signos não quer dizer muita coisa no que tange o nível individual, embora possa dar uma noção de como o coletivo funciona. É muito mais fácil para este fim observar a posição dos planetas numa casa astrológica, que é algo muito mais individual, e revela como cada planeta incide na sua vida.

É muito comum também que as pessoas perguntem, por exemplo, “Eu tenho Netuno em Peixes, como isso funciona no meu mapa?”  Pode-se dizer que em épocas assim há situações como crises de refugiados, pesquisas sobre drogas alucinógenas na medicina, grandes massas marginalizadas e vitimizadas, mas isso não significa que você, individualmente, irá se comportar como uma vítima nem se tornará refugiado necessariamente. Como dito acima, é preciso verificar a posição do planeta por casa, isso sim é um dado mais individual e passível de ser manifestado em seu comportamento mais direto e em circunstâncias concretas em sua vida.

Imagine um mapa natal…

Netuno em Peixes na Casa 5, por exemplo, pode afetar a forma como você se diverte, na sua criatividade, em eventuais filhos, afilhados e pessoas mais jovens com quem você convive, sua forma de interação e identidade. Nesse sentido, Netuno diz respeito à forma como a coletividade o afeta em nível individual.

Saturno e Plutão na 3ª casa, por exemplo, fala sobre a forma como você se comunica. Analisando Saturno em Capricórnio, por sua vez, não há nada muito relevante individualmente falando. No entanto, esses dois planetas – Saturno e Plutão – na 3ª casa acaba revelando uma pessoa com algum tipo de dificuldade em se comunicar inicialmente. Se este for o seu caso, há uma predileção muito forte por informações consistentes e com embasamento e com coisas que sejam tradicionalmente reconhecidas. É comum que você passe por fortes crises quando fala, além de enfrentar determinados assuntos com certo embate. Esse posicionamento revela o aspecto individual, unindo o simbolismo de Capricórnio e a Casa 3 comporta em si.

Analisando Urano em Touro, em termos coletivos, por exemplo, esse posicionamento abarca as situações econômicas, mudanças de senso estético e questões voltadas para recursos. Em nível individual, esse posicionamento incide na quebra contínua de rotina, na tendência em atuar em campos profissionais de vanguarda, que tenham grupos de amigos e tecnologia, com necessidade de agir de forma muito humanista –  um dos motes simbólicos do comportamento uraniano. Nesse sentido, a pessoa tende a ser bastante rebelde, iconoclasta, original e inortodoxo no campo do cotidiano, no trabalho e na forma como ela lida com a saúde.

Curtiu esse conteúdo, mas ficou curioso(a) para saber mais? Conheça o nosso Curso Online de Astrologia: https://www.ciadosastros.com.br/

A Cruz do Mapa Natal e seus 4 pontos cruciais

A Astrologia trata de um universo muito amplo de temas que tocam a vida humana, o indivíduo e suas circunstâncias de vida. Diante de qualquer fato, existem quatro pontos cruciais que se apresentam diante dos seus olhos nas mais variadas situações. O primeiro diz respeito a tudo aquilo que vem de dentro, o seu mundo interior e suas condições internas. Aquilo que faz com que seja determinado estado de espírito seja provocado em você.

O segundo diz respeito aos outros, aqueles que surgem diante de uma situação e são aquelas pessoas – colaboradores ou parceiros – com quem você é obrigado a lidar.

O terceiro ponto trata das condições externas: o mundo lá fora e tudo aquilo que é exterior a você, que inclusive pode ser um elemento facilitador ou perturbador, embaraçando ou desembaraçando a situação. Finalmente, o ponto que diz respeito a você: como é o seu comportamento diante das mais diversas circunstâncias; como você conduz a situação e como dirige o carro nessa estrada de acontecimentos.

Esses quatro pontos estão apontados no mapa natal, através da cruz do mapa; Ascendente, Fundo do Céu, Descendente e Meio do Céu. Dependendo do signo que se encontra em um destes quatro pontos, os planetas que estão posicionados nas casas 1, 4, 7 e 10, e do formato ou do desenho das condições que estes planetas se encontram, é possível descrever com detalhes o desempenho desses 4 pontos.

Dessa forma, é possível antecipar qual é a natureza dessas situações que se apresentam em relação ao seu mundo interno, suas condições de alma, o seu encontro com os outros nos mais variados eventos, as condições externas e como você maneja individualmente cada uma dessas situações.

Achou esse conteúdo muito curto? Nos próximos conteúdos descreveremos separadamente cada um desses pontos com alguns exemplos de como funcionam signos e posições planetárias.

Conheça o Curso de Formação em Astrologia da Cia dos Astros: https://www.ciadosastros.com.br/

Nodos lunares e seus significados

Os nodos lunares nem sempre são utilizados na interpretação astrológica, mas eles trazem informações bastante pertinentes em relação ao mapa natal. Podem indicar momentos importantes em trânsitos e em progressões, entre outras análises.

Também conhecidos como Cabeça do Dragão (Nodo Norte) e Cauda do Dragão (Nodo Sul), os nodos são o encontro da órbita lunar com a trajetória do Sol. Existem duas trajetórias, um pouquinho inclinadas uma em relação a outra, e entre os pontos formados por essa inclinação há o encontro entre ambos.

Ambos os nodos representam a ligação entre masculino (órbita do Sol) e feminino (órbita da Lua). Um dos muitos significados dos nodos é o encontro de pessoas significativas em nossas vidas. Nodos ativados por trânsitos e transgressões podem representar a chegada de determinadas pessoas que fazem com que você mude a sua visão de mundo. Por exemplo, um professor que será importante, o amor da sua vida, alguém que o puxou pela mão e mostrou um caminho novo, abrindo um leque de possibilidades muito interessantes.

Há algumas diferenças entre os nodos. O Nodo Norte indica um caminho e uma direção de vida. É muito comum que quando você consegue ir rumo a Casa e Signo indicados por ele, as coisas na sua vida começam a se encaixar. O nodo oposto, o Nodo Sul, indica uma série de comportamentos que fazemos automaticamente, sem pensar. Por exemplo, se você tem o Nodo Sul na Casa 6, automaticamente, você assume comportamentos de organização do seu dia a dia. Você não precisa pensar “tenho que organizar o meu dia”, você simplesmente o organiza. Já se você tem o Nodo Sul na Casa 3, por exemplo, você faz contatos automaticamente. Mesmo que tenha um Mercúrio que não é comunicativo, há uma busca por informação e conexão com as outras pessoas.

O Nodo Sul, além de tratar de comportamentos automáticos e inconscientes, também tem uma relação com a hereditariedade. Aquilo que nós trazemos na nossa carga genética quando nascemos ou, caso você acredite em reencarnação, aquilo que você trouxe de vidas passadas. Os antepassados têm profunda relação com o Nodo Sul. Por isso, ao nascermos, exercemos esses comportamentos automáticos indicados pelo Nodo Sul. Desde que nascemos, este nodo indica a rota que preferimos seguir para abrir caminhos e nos desenvolver. No entanto, a uma certa altura da vida, essas atitudes começam a se desgastar e a vida começa a estagnar e a se repetir.

No Nodo Norte há um certo receio de tomar atitudes indicadas por ele no mapa natal, até que a vida dá um empurrão e somos obrigados a tomar aquela direção. A impressão é a de que o universo se abre quando ganhamos coragem para ter determinados comportamentos indicados pelo Nodo Norte (Signo e Casa). A vida fica mais brilhante! Não é a toa que quando tomamos esse caminho, as coisas começam a dar certo. Entretanto, devemos lembrar que ambos os nodos formam na verdade um eixo. Dessa forma, ambos trabalham em conjunto e interdependem um do outro. Na verdade, não existe um Nodo bom e outro ruim. O segredo é usar a potência gerada automaticamente pelo Nodo Sul, para conseguir alcançar uma direção de vida nova e frutífera, que sempre será indicada pelas características do seu Nodo Norte natal. Quando isso acontece, há o sentimento de satisfação pessoal e uma agradável sensação de missão cumprida.

Ao analisar os nodos é preciso levar em conta, além do eixo de signos e casas em que se encontram, os aspectos que fazem com o Sol, a Lua e os planetas, pois tudo isso é importante na leitura do mapa.

 

Gostou desse conteúdo, mas achou ele muito curto?
Venha estudar com a Companhia dos Astros: https://ciadosastros.com.br/

Paternidade no Mapa Natal

Como é a sua relação com seu pai? A Astrologia permite uma averiguação dessa relação a partir da Casa 4, entre a linha divisória – chamada de Cúspide – da 3ª e 4ª Casa no mapa natal.

Essa Cúspide quando aponta para determinado signo pode indicar como é grande parte do comportamento do seu pai. Como, por exemplo, se ele tem uma Casa 4 em Sagitário talvez viaje frequentemente, estude ou lecione na área de idiomas, direito ou, até mesmo, tenha um conteúdo filosófico bastante abrangente. Como não poderia deixar de ser, isso vai depender também do posicionamento de Júpiter (planeta que rege Sagitário), caso esse signo esteja na Casa 4 do mapa natal. Se Júpiter estiver na Casa 5 é provável que seu pai seja uma pessoa mais lúdica e brincalhona, por exemplo.

Já Áries na Casa 4 revela uma personalidade mais agressiva, com um grande teor de competitividade e uma necessidade de se provar muito grande. Às vezes pode ser até bem direto no falar. Essas características dependem de Marte, que é o regente de Áries. Como, por exemplo, se Marte estiver em Peixes já é possível verificar uma alteração desse comportamento. O “padrão” Áries é mais agressivo, enquanto o de Peixes é mais sonhador, contemplativo e mais piedoso, demonstrando certa preocupação com o sofrimento ou a dor alheia. Você pode ter um pai músico se ele tiver Marte em Peixes, por exemplo.

Marte em Touro revela a possibilidade do seu pai ser bom com as finanças e com um senso estético apurado, por exemplo. Caso seu pai tenha a Casa 4 com a cúspide em Virgem, talvez seu pai seja muito detalhista e até um pouco complicado. Isso porque é bem provável que para ele algo só é o suficiente quando é muito funcional e organizado. Claro que essas características dependem muito de Mercúrio, que é o planeta que rege Virgem.

Se o seu pai tem a Casa 4 em Virgem, mas seu Mercúrio está em Gêmeos a possibilidade é que o seu pai seja bastante trabalhador, um pouco complicado e meticuloso, mas também muito hábil em se comunicar, podendo exercer profissões como jornalista, publicitário, entre outras relacionadas à comunicação.

Esses são apenas alguns dos exemplos que podem ser usados para verificar as características da personalidade dos pais. Achou o post muito curto? Inscreva-se no Curso de Formação da Cia dos Astros: www.ciadosastros.com.br

 

Detalhes do mapa astrológico de Janis Joplin

Alguns pormenores astrológicos não são possíveis de ser descobertos mesmo que superficialmente, a não ser pela análise do mapa astral. É o caso das regências, as vocações (música, artes, literatura), os talentos de determinado indivíduo, entre outros aspectos. Hoje vamos fazer uma breve análise astrológica do mapa da cantora norte- americana Janis Joplin, uma brilhante cantora, de voz extremamente poderosa e um carisma extraordinário,  que faleceu aos 27 anos em 1970.

Para a realização da interpretação de um mapa natal é necessário realizar um entrecruzamento dos dados presentes, selecionamos alguns mais relevantes a título de curiosidade.

Joplin tinha a Lua e Júpiter em Câncer e Netuno em Libra em retrogradação. Netuno, muito forte no mapa da cantora é, entre outros atributos, o planeta da inspiração, da genialidade, da inspiração musical e artística, como uma oitava de Vênus. Mas, se por um lado ele promove essas faculdades repletas de beleza, por outro ele também é capaz de promover caos, principalmente em relação a área psíquica, algo que podemos averiguar pelo histórico com drogas da cantora.

Outro fator importante é a posição de Júpiter na Casa 5 do mapa de Janis. Estando Sagitário no meio do céu (carreira e reputação) e Júpiter, o regente deste signo, posicionado na casa do entretenimento, das artes e dos amores, temos uma chave para entender grande parte da trajetória de Janis Joplin no cenário de show nos EUA em sua época.

Achou muito curto esse post? Matricule-se na Cia dos Astros e aprenda sobre esse vasto universo da astrologia: www.ciadosastros.com.br