Página 2 de 15

Um jeito novo de estudar astrologia

Se você nos acompanha há algum tempo, sabe que o nosso curso de astrologia surgiu a partir do desejo de formar astrólogos. No final do ano passado houve uma mudança na Cia dos Astros, a saída da Márcia e do Carlos. Nossa parceria foi imprescindível e o sentimento que fica é o de gratidão! Essa mudança desencadeou uma outra, fundamental e cheia de expectativas: a reestruturação do currículo do Curso da Cia dos Astros!

Nessa reestruturação do currículo, o principal objetivo foi integrar as informações de forma sistematizada para que o seu aprendizado seja mais efetivo! Aproveito o ensejo para convidar você, curioso e apaixonado pelo universo astrológico, para conferir o nosso Curso de Formação Básico, que iniciará AINDA ESTE MÊS!

Para entender melhor o que mudou, assista o vídeo abaixo:

Ansioso para mergulhar nesse novo aprendizado? Eu, Sérgio Pupo, espero por você! Acesse o site e faça já sua inscrição >>> https://www.ciadosastros.com.br/

O que esperar de Urano em Touro?

Urano em Touro começou em 2018 e ficará neste signo até 2025, mas o que esperar desse posicionamento? Como a astrologia funciona por analogia, para entender melhor a combinação dessas energias, vale lembrar do significado de cada um!

Enquanto o signo é um pano de fundo, o planeta é um gerador de eventos e acontecimentos. Dessa forma, Touro está dando o tom de como Urano vai trabalhar durante este período.

Urano foi descoberto mais ou menos na época da Revolução Francesa. A França vivia um período em que a monarquia era extremamente opressora e sugava todo dinheiro da população. O movimento libertário proposto pela revolução tem tudo a ver com Urano, um planeta que promove a liberdade. Imagine que você vivesse na França, em meio a uma casta de pessoas que dominava tudo, e fosse um miserável. O que aconteceu nesse período foi uma organização da população menos favorecida e uma conspiração, o “vamos nos unir, porque estamos sendo oprimidos.” Tudo isso tem a ver com Urano! Esse movimento cooperativo gerou a revolução e, depois, a monarquia.

Liberdade, igualdade e fraternidade, lema da Revolução Francesa, resumem muito bem Urano. O planeta tem a ver com o desenvolvimento de utopia, aquilo que você deseja, mas só consegue implementar quando se organiza em grupo.

Urano tem a ver com quebra de padrões, paradigmas, rupturas e o inesperado. Inquietação, criatividade e genialidade também tem a ver com o planeta, que representa a quebra com a mesmice e a chegada da inovação. Eletricidade, tecnologia e as grandes descobertas tecnológicas também tem a ver com Urano.

A mitologia é sempre muito útil para compreender os significados astrológicos. Uranos, que se casou com Gaia (Terra), representa o céu. Ao olharmos para o céu, temos a noção de espaço, infinito e liberdade e de ir além, sem fronteiras. Além disso, é interessante observar que Urano gerava um filho atrás do outro. Esse filho novo que nascia era uma novidade. A partir do momento em que era gerado, vinha um novo e Urano desprezava o anterior. Por isso, o caráter do planeta em abandonar o que se tornou velho. O planeta é, então, abortivo; tem muitas ideias a cada dia, e só se interessa pelo que é novo.

O signo de Touro, por sua vez, é um signo de elemento Terra, de ritmo fixo e de polaridade feminina. As polaridades funcionam da seguinte forma: a masculina gera influência no ambiente externo, isto é, age de dentro para fora. Os signos de Fogo e Ar têm polaridade masculina, portanto exalam, agem sobre o externo. Já os signos de polaridade feminina – Terra e Água fazem o inverso: captam o que está fora e absorvem e compreendem o ambiente externo. Touro, então, por ser de polaridade feminina tem o poder de captar o que está acontecendo. A polaridade feminina da água capta a emoção, a energia e o sentimento. A de Terra compreende o espaço ao redor, a realidade, a dimensão tempo-espaço.

Vamos unir esses significados para saber o que esperar desse posicionamento? Urano, que representa a inovação, entrou em 2018 no signo de Touro, que significa uma energia de manutenção. Mas enquanto Touro está em busca de segurança, o planeta Urano busca mudanças. Parece contraditório, mas vamos ver como funciona dinâmica. Touro tem um senso de realidade muito bom, é pragmático, rígido e busca colocar os pés na Terra para saber o que pode ser feito. Busca estabilidade e manutenção da sua segurança e conforto material.

Mas como Urano é o planeta da inovação e ele está passando pelo signo de Touro, essa inovação vai acontecer com o viés da rigidez desse signo e de polaridade feminina. As inovações tendem então a ocorrer nas áreas que são caras à Touro, como as finanças, a agricultura, a terra, e tudo o que representa conforto e estabilidade. Portanto à partir de 2018 podemos esperar um crescente movimento global em busca de cooperação. O cooperativismo e as ações colaborativas devem ficar cada vez mais disseminadas e frequentes, em detrimento da competição predatória que ocorreu com Urano em Áries. É uma cooperação em busca de segurança!

Urano em Touro provoca movimentos que devem ser reforçados até 2025, com relação a forma de se trabalhar com a agricultura, por exemplo. A agricultura que foi desenvolvida pelo capitalismo é o resultado de monoculturas imensas, exploração e empobrecimento do solo, sem falar nos agrotóxicos. Touro tem a ver com a alimentação e toda parte sensorial, o olfato e o paladar. Por isso, podemos esperar pelo desenvolvimento de uma agricultura cada vez mais cooperativa na qual a exploração do solo não é mais predatória, mas sustentável, já que isso faz bem para o coletividade.

Touro também tem a ver com o que traz segurança, principalmente do ponto de vista material. A relação com o dinheiro e com bens também vão sofrer mudanças. Por exemplo, isso já está ocorrendo e se disseminando: ao precisar de uma bicicleta você não necessariamente irá comprá-la, mas poderá usá-la de forma coletiva e temporária numa estação de bicicletas. O compartilhamento de recursos é, portanto, algo que ganha espaço com Touro em Urano.

Outra provável mudança para esse período é a revolução e a conspiração contra o sistema monetário vigente. Quando o assunto é dinheiro, podemos pensar na disseminação do bitcoin ou de outras moedas virtuais, disruptivas e baseadas em tecnologia (Urano). Inicialmente o bitcoin foi desenhado para ser um sistema de pagamentos. Depois de um certo tempo ele passou a ser usado para acumular recursos e servir como fonte alternativa para garantir poupança e segurança material. A revolução das moedas eletrônicas pode até não ocorrer totalmente, mas é muito possível uma grande disseminação delas.

A questão fundamental do dinheiro também tem a ver com a mudança do paradigma de não haver um sistema monetário centralizado ou a utilização de moedas específicas dentro de cada país. Com Urano em Touro é possível que os bancos centrais de cada país percam o poder que têm hoje para administrar suas moedas locais como fazem atualmente, talvez aceitando subordiná-las a um sistema de pagamento descentralizado, inspirado na no blockchain do bitcoin. E se isso de fato ocorrer, seria até factível a substituição do padrão dólar por alguma moeda eletrônica mundial e descentralizada! Essas são possibilidades bem possíveis se pensarmos nos significados astrológicos de Urano em Touro, somada a uma eventual crise financeira global, tal como historicamente ocorre nas conjunções Saturno e Plutão (cuja última se iniciou em 2019 e atinge seu grau exato em 2020). Não ficaria surpreso inclusive, se até 2025 ocorresse até mesmo uma reformulação do capitalismo, talvez passando a ser menos predatório e mais cooperativo e sustentável.

Outra possibilidade muito provável é alguma mudança muito importante na forma de lidar com o meio ambiente. A exploração extrativa e predatória tende a ser punida, por não ser sustentável. A partir de Urano em Touro, os recursos materiais em geral devem passam a ser mais compartilhados, e os recursos finitos (petróleo, minérios, etc), substituídos ou reciclados.

Para finalizar, também pode haver uma mudança muito importante em relação aos valores individuais, que passam a ser menos valorizados do que os coletivos. O cooperativismo será cada vez mais forte!

Quer aprender mais sobre previsões astrológicas? A temática faz parte do Novo Curso de Astrologia que vem sendo desenhado por mim com muito carinho e dedicação. Ficou curioso para saber mais? Acesse o nosso site >>> http://ciadosastros.com.br/ 

Conjunção Saturno e Plutão em Capricórnio e seus efeitos em 2020

Estamos passando por um momento coletivo bem difícil no céu, que começou no ano passado e deve se intensificar este ano. Isso se explica pela conjunção Saturno e Plutão em Capricórnio que aconteceu no grau exato dia 12 de Janeiro. Mas o que isso significa? Para entender o significado desse posicionamento é necessário retomar alguns conceitos.

Basicamente, Capricórnio é um signo ligado a questão de estrutura. Quem tem muitos planetas neste signo tem uma profunda noção de como gasta seu tempo, porque o regente de Capricórnio é Saturno ou Cronos, o senhor do tempo. É um signo, portanto, de Terra, que conhece a dimensão de tempo e espaço, tem uma clareza e um pragmatismo muito forte de como são as coisas, é frio e calculista. É um signo que se preocupa em estruturar as coisas e, por isso, ambicioso, além de exigente com si e com os outros. Como tem uma analogia com o inverno no Hemisfério Norte, ele está sempre preocupado com a escassez e se prepara para as situações de vida onde isso pode acontecer, como a velhice. Além disso, é extremamente perseverante e trabalhador, porque sabe que a sobrevivência está ligada ao esforço. O conservadorismo é também uma característica, pois o que deu certo no passado deve continuar dando agora. Novidade é uma palavra que dá medo para o signo de Capricórnio.

Saturno, regente de Capricórnio, tem algumas características muito parecidas com o signo. O planeta é como dito anteriormente, o senhor do tempo. Por isso, é representado por um velho que atingiu certa idade e acumulou muitas experiências. Saturno é um planeta ligado a estruturas, ou seja, fazendo analogia a um prédio: você estrutura sua vida e quando chega no topo não corre o risco de ter sua fundação comprometida, seja pelo vento ou outro motivo. A estruturação de Saturno funciona por acúmulo de experiências: erros e acertos. Dessa forma, é possível observar o que dá certo ou não e se apegar ao que realmente funciona. Saturno também tem a ver com senso de realidade, com a frieza de Capricórnio e com racionalidade e daquilo que dá certo.

Saturno tem a ver com limites. Ao mesmo tempo em que há o desejo de galgar patamares superiores de forma bem estruturada e sólida, é necessário conhecer muito bem os seus limites, até onde você pode ir e quais são suas habilidades. Compromissos e responsabilidades também estão relacionados ao planeta. Além disso, há uma questão intrínseca a Saturno, que é o medo de errar. Como busca a perfeição por acúmulo de experiências, quando encontra algo novo acaba lidando com um sentimento de insegurança e cautela. Isso pode gerar, muitas vezes, uma paralisia. A vontade de fazer tudo perfeito, nesse sentido, pode acabar dando aquela travada em determinadas situações. Isso é Saturno!

Plutão, por sua vez, é Hades – o deus do submundo, e tem a ver com o poder. É um poder intimidatório e ameaçador. O planeta também tem a ver com uma dicotomia muito importante: morte e renascimento, fundamental para o signo de Escorpião  – regido por ele. Por isso, ele fala de morte e ressurreição. Esse poder é quase supremo, porque ou fica intacto e devasta, ou se auto destrói. E após a morte, vem o renascimento. Onde há Plutão no mapa há poder de regeneração, potencial de poder, intimidação, destruição ou renascimento.

Levando em consideração todos esses conceitos, a conjunção de Saturno e Plutão em Capricórnio significa, em primeiro lugar, o fim de um ciclo e o início de outro.

A última conjunção de Saturno e Plutão aconteceu em 82. Ao voltarmos à história, essas conjunções ocorreram em períodos de disputa de poder, como 1914 no estopim da Primeira Guerra Mundial. O controle é Saturno, o poder é Plutão. Quando ocorre esse encontro no céu há, além de questões ligadas ao poder e a dominação, radicalismos. A Primeira Guerra gerou uma grande crise econômica em 1929, sem falar na destruição da Alemanha que havia começado a guerra. E o esforço de renascimento dessa nação gerou a Segunda Guerra Mundial, por sua vez. A última conjunção, que aconteceu foi em 1982, foi cenário da guerra fria e o pavor coletivo da hecatombe nuclear pela disputa entre EUA e Rússia, o que causou tensão à toda população. Essa conjunção tem a ver, portanto, com medo (Saturno) e tudo ou nada (Plutão).

Do ponto de vista mitológico, Saturno teve vários filhos. Dentre os quais: Zeus, Hades (Plutão) e Poseidon (Netuno). Esses três filhos desafiaram o pai e entraram numa guerra longa – alguns relatos dizem que ela durou dez anos – que destronou o pai. Saturno e Plutão são portanto inimigos mitológicos e, por isso, numa conjunção eles representam um período de grande tensão coletiva e econômica.

O que esperar então em 2020? Essa conjunção foi se aproximando no ano de 2019, ficou exata no dia 12 de Janeiro e, certamente, desencadeará uma série de acontecimentos tensos neste ano. Além disso, Júpiter e Marte também estão se aproximando dessa conjunção.

Já vimos tensões econômicas entre os EUA e a China desde 2019. Isso deve se intensificar ainda mais em 2020. Essa disputa por poder econômico e de influência deve deixar reflexos a nível mundial. Também é possível que aconteça algum tipo de crise financeira aguda, principalmente por causa da disputa entre esses dois gigantes. Há, então, uma potencial crise econômica global. Conflitos bélicos também podem acontecer, despertando novamente o medo coletivo e de escassez. 

Outra possibilidade, devido a disputa de poder, é o abuso de autoridade. Quem está por cima tem medo de ser destronado. Isso pode acontecer tanto a nível de nações como nas hierarquias empresariais.

Essa insegurança pode acontecer inclusive dentro das famílias; os pais podem se sentir intimidados pelos filhos, por exemplo. O medo e intensificação de tensões podem então acontecer dentro de qualquer hierarquia.

Diante disso, é recomendado não entrar em disputas de poder. Ao perceber que você se encontra no meio de algum tipo de tensão ou acirramento de opiniões e disputas, procure não entrar no jogo. As coisas podem ganhar uma proporção destrutiva e incontrolável.

Plutão fala muito de términos e principalmente de desapego. Ao invés de se apegar ao status quo, procure desapegar-se dele. Evite radicalismos. Procure não fazer investimentos financeiros de risco, porque o grau de volatilidade e de crises intensas deve ser muito grande. Choques econômicos e tensões a nível mundial podem acontecer, como na questão entre EUA e Irã. Se houver uma guerra, o preço do petróleo deve subir e isso causará consequências globais. Por isso, procure fazer investimentos conservadores! Vale tomar cuidado com possibilidades de perdas. Além disso, tente manter o equilíbrio e evitar o medo, apego ou insegurança. Com certeza, tomando essas atitudes, seu 2020 será melhor!

Quer aprender mais sobre previsões astrológicas? A temática faz parte do Novo Curso de Astrologia que vem sendo desenhado por mim com muito carinho e dedicação. Ficou curioso para saber mais? Acesse o nosso site >>> http://ciadosastros.com.br/ 

Casas astrológicas: 10 a 12

Quem acompanhou a sequência de posts aqui no blog, viu que da casa 1 até a casa 9 passamos por diversas áreas da vida. Enquanto a casa 9 é uma casa de elevação ao ponto máximo do mapa, a casa 10 é o ponto máximo.

A CASA 10

A casa 4 é o nível mais inferior e íntimo do mapa natal, enquanto a casa 10 é uma casa do topo, ou seja, é uma casa absolutamente pública. Mais do que o ascendente, que é o modo como você se mostra individualmente, a casa 10 mostra a forma como você é visto coletivamente.

Por que a casa 10 tem a ver com profissão?

A profissão é a forma como normalmente você é visto publicamente. Entretanto, antes de tratar do aspecto profissional, a casa 10 é uma casa de reputação. Ela trata da forma como cada um de nós é visto pelo grande público. Alguns significados podem ser acrescentados por analogia.

A casa 10 tem uma analogia ao signo de Capricórnio, representada por uma cabra que escala, pula e mede com rigor qual é o próximo salto a ser feito. Dessa forma, existe o lado estratégico do signo para escalar até chegar ao topo. Do ponto de vista astrológico, isso significa galgar patamares cada vez mais superiores e ser bem visto pela coletividade, ou seja, casa 10. Entende como essa analogia se relaciona com a profissão que você tem?

Essa casa trata portanto de hierarquia, do topo e se relaciona com a necessidade de ser visto, lembrado e reconhecido. Por isso mesmo, tem a ver com reputação. Se pensarmos na casa 9, que tem relação com os estudos mais amplos, a casa 10 é uma casa de excelência. Ao passar da casa 9 e atingir a casa 10, você começa mostrar e mostrar publicamente todo o conhecimento ao qual teve acesso. Assim, você mostra o seu melhor publicamente!

Quem tem Sol ou planetas na casa 10 tende a ser ambicioso e busca, não necessariamente em termos financeiros, mas de status e prestígio, ser reconhecido. São pessoas que buscam reconhecimento pelo aperfeiçoamento e, desejam estar sempre entre os melhores profissionais. Têm um ideal de excelência.

A casa 10 também tem a ver com a escalada de Capricórnio e, por isso, com a hierarquia e com o chefe. Se você tem Marte na casa 10, por exemplo, é provável que você bata de frente com seu chefe e se empenhe para crescer tomando iniciativas, eventualmente, criando choque com quem está acima de você nessa escalada. Já se você tem Urano na casa 10, é provável que você não goste de ter chefe porque isso tira sua autonomia.

Todas essas questões de casa 10: hierarquia, profissão, status, imagem pública, excelência e carreira têm a ver com o pai ou uma figura paterna ou materna.

A CASA 11

A casa 11 tem uma analogia com o signo de Aquário. Além disso, é bem comum ser vista como uma casa de amigos. Por outro lado, gosto de ampliar esse significado para todos os grupos sociais.

Vale lembrar que Aquário é o oposto de Leão (regido pelo Sol com um ponto no meio). A casa 11 revela a descentralização do centro, ou seja, que todas as pessoas deveriam ser iguais. Quem tem planetas na casa 11 procura se socializar de um jeito em que todos trabalham por um objetivo em comum. Essa casa social, portanto, trabalha com grupos sociais que se reúnem para atingir esse objetivo comum: a turma do chopp, a turma da academia e assim por diante. É a casa ligada a sindicatos, aos condomínios e às agremiações que têm objetivos comuns. Logicamente, ela tem a ver com amizades, mas não como na casa 7 – eu e o outro. Ela tem a ver com várias pessoas juntas, a galera, os grupos sociais.

Outro significado importantíssimo da casa 11 é o lado disruptivo de Aquário, muito ligado ao futuro. Ela é uma casa de planejamento. Quem tem planetas na casa 11 – principalmente Sol ou Saturno – se preocupa com o futuro e procura ver sua própria vida a partir de uma perspectiva do tempo, ou seja, o que vai acontecer daqui a 3 meses, 6 meses, 1 ano, 3 anos, 5 anos, 10 anos, 20 anos, 50 anos e assim por diante. Essa perspectiva de tempo é importante para quem tem planetas na casa 11. Propor algo novo no futuro também tem a ver com essa casa. Perguntas como ‘pra onde eu vou?’ e ‘pra onde nós vamos como sociedade?’ A casa 11 é a casa da sociedade, das relações sociais e do coletivo.

CASA 12

A casa 12 tem uma analogia com Peixes. Enquanto este signo enxerga o todo, o oposto dele –  o signo de Virgem – enxerga o micro, o sistemático, o ordinário (casa 6). A casa 12, por sua vez, enxerga o extraordinário, ou seja, tudo aquilo que não acontece cotidianamente.

O inconsciente da casa 12

A casa 12 está relacionada ao inconsciente, ou seja, todas aquelas coisas que as pessoas enxergam a seu respeito, mas você não tem consciência. Uma analogia é pensar a casa 12 como se fosse as suas costas, ou a sua nuca: todos as vêem, mas não você. Além disso, essa casa se relaciona com a questão da entrega. Na casa 12 você não tem que fazer, tem que aceitar.

Pegando o gancho da aceitação, todo mundo tem uma casa 12 e uma parte de si não percebida. Aí moram os inimigos ocultos. São pessoas que falam de você pelas costas, sem a sua consciência. O que resta é simplesmente aceitar essa situação.

Existem alguns planetas difíceis na casa 12, com exceção de Netuno e Júpiter. Marte, por exemplo, que é iniciativa, num campo que você não domina ou tem clareza, justamente porque tem a ver com o inconsciente, pode ser mais complicado. Quem tem planetas nessa casa intui mais do que os outros, se relaciona mais com o extraordinário e o mundo metafísico, com o trabalho sacrificial (voluntário) e a entrega.

Quando você se vê diante da necessidade de aceitar algo, que remete muito ao signo de Peixes, você não atua, simplesmente aceita. A casa 12 tem a ver com esse auto sacrifício, portanto. Quem tem planetas casa 12 costuma se sacrificar em prol da humanidade, trabalhando em hospitais, prisões, ou se doando através de trabalho voluntário e assistência a outras pessoas mais necessitadas. A doação sem esperar nada em troca, também tem a ver com a casa 12. 

Além de doação e entrega, essa casa tem um significado essencial: isolamento. Quem tem planetas na casa 12 –  Sol e Lua, por exemplo – precisa se retirar do mundo ordinário e corriqueiro para ficar sozinho em alguns momentos. Essa ação é necessária para recarregar suas energias.

Quer aprender a interpretar seu mapa natal? A temática faz parte do Novo Curso de Astrologia que vem sendo desenhado por mim com muito carinho e dedicação. Ficou curioso para saber mais? Fique de olho, porque logo, logo, você vai poder conferir muitas novidades lá no site >>> http://ciadosastros.com.br/ 

Mapa natal

Astrologicamente e poeticamente falando, o mapa natal é uma fotografia do exato momento em que nascemos. Mais do que isso, ele pode ser comparado a uma impressão digital. O seu mapa natal é único, e revela suas prováveis potencialidades e habilidades, possíveis desafios, traços de personalidade e tendências ao decorrer da vida.

Você certamente já ouviu em algum circuito social que o signo ‘x’ não representa sua personalidade ou modo de se comunicar, por exemplo. De repente, você mesmo já deve ter pensado isso. Já parou para pensar no motivo para essa situação ser relativamente comum?

O que determina seu signo é a posição do Sol no momento em que nasceu, mas existem muitas outras variáveis para levar em consideração ao interpretar o seu mapa e, consequentemente, seus traços de personalidade. Este é apenas o seu signo solar e um dos muitos astros que exercem influência sobre você.

Sol e Lua, por exemplo, regem os ciclos da natureza. Enquanto o Sol rege os ciclos cronológicos; a Lua, por sua vez, rege algo muito mais subjetivo: os ciclos emocionais da vida, a menstruação, o sobe e desce das marés, não a toa percebemos as mudanças de humor a partir dos ciclos lunares.

ENTENDENDO AS INDICAÇÕES DE CADA PLANETA NO MAPA

A redução da astrologia aos 12 signos do zodíaco é muito comum, e deve ser olhada com muito cuidado. O signo solar é só a ponta do iceberg, já que existem muitos outros planetas que influenciam cada pessoa de forma totalmente individualizada – como você viu resumidamente na tabela. O Ascendente, as casas astrológicas, os aspectos planetários e muitas outras variáveis permitem uma análise minuciosa de cada mapa e, consequentemente, dos traços de personalidade, tendências, habilidades ou desafios.

A mecânica astrológica não avalia nada isoladamente. Além disso, mesmo que certas configurações possam nos influenciar de forma negativa ou positiva, nada é permanente ou determinante a ponto de nos cercar, eliminando nossa capacidade de liberdade na hora de escolher ser isto ou aquilo. É tudo muito mais complexo e, ao mesmo tempo, fluido! 

Quer aprender a interpretar seu mapa natal? A temática faz parte do Novo Curso de Astrologia que vem sendo desenhado por mim com muito carinho e dedicação. Ficou curioso para saber mais? Fique de olho, porque logo, logo, você vai poder conferir muitas novidades lá no site >>> http://ciadosastros.com.br/ 

Trânsitos astrológicos

Um trânsito astrológico pode ser usado de muitas formas, mas principalmente com a finalidade de conhecer melhor o momento atual e os ciclos de início, meio e fim, ou seja, aquilo que pode começar em breve, o que está se desenrolando, concretizando e finalizando em sua vida.

Como tudo em astrologia, os trânsitos astrológicos não são engessados. Isso quer dizer que eles podem ser vividos como momentos de crises ou janelas de oportunidades, dependendo dos planetas envolvidos (transitante e transitado), e da sua disposição em lidar com as situações que se apresentarem.

Para entendê-los mais assertivamente é necessário identificar no mapa, a princípio: o planeta que recebe o trânsito e a casa na qual ele está localizado.  A partir disso, você terá a indicação de qual área da sua vida estará em transformação. Aspectos mais fortes, como conjunções, quadraturas e oposições, certamente, promovem mais crescimento; já que, no intuito de resolver o que nos incomoda, direcionamos mais energia para resolver aquilo que se apresenta como um problema. Bacana, né? Lembre-se sempre que nada é permanente, tudo tem início, meio e fim!

Uma curiosidade em torno desse tema é que os trânsitos se repetem. Essa é uma ótima oportunidade de usar toda sua experiência em situações que já viveu para lidar da melhor forma possível com os desafios. As tendências vão continuar ali, mas a sua forma de agir não precisa ser a mesma.

ENTENDENDO MELHOR AS INFLUÊNCIAS

Os trânsitos astrológicos do que chamamos de “planetas lentos”, como Saturno, Urano, Netuno, Júpiter e Plutão costumam trazer mudanças mais duradouras, mas isso não é uma regra.

Trânsitos de Mercúrio, Vênus, Sol e Lua tendem a alterar o nosso estado de ânimo por pouco tempo, às vezes somente horas. Já trânsitos de Marte, por sua vez, podem contribuir para situações propulsoras de amadurecimento, e geralmente duram cerca de 4 dias.

A duração dessas influências também é relativa. No caso de Júpiter, por exemplo, as manifestações podem durar cerca de dois meses. No caso de Saturno, aproximadamente, um ano. Em trânsitos de Urano, cerca de dois anos. Netuno ou Plutão, até cinco anos!

É importante destacar a necessidade de analisar o seu mapa natal para avaliar melhor as influências dos trânsitos no seu caso, ok?

Vale lembrar que um trânsito pode ser fácil ou difícil, dependendo da sua capacidade de aceitar as mudanças e transformações. Por isso, esteja aberto! Você pode crescer muito, acredite!

A temática dos trânsitos astrológicos faz parte do Novo Curso de Astrologia que vem sendo desenhado por mim com muito carinho e dedicação. Ficou curioso para saber mais? Fique de olho, porque logo, logo, você vai poder conferir muitas novidades lá no site >>> http://ciadosastros.com.br/ 

Conjunção: o que ela indica e o que pode significar?

Você já ouviu falar em aspectos astrológicos? Nesse post você vai conhecer um pouco mais sobre a conjunção: o que ela significa e o que pode indicar!

Quando dois planetas estão no mesmo grau ocorre uma conjunção. Mas ainda se considera conjunção quando a distância angular entre os astros é de até cerca de 10º (para mais ou para menos), sendo que quando um dos envolvidos é o Sol ou a Lua; a distância aumenta. Conforme o tipo de mapa que estamos analisando (natal, revolução solar, progressões, trânsitos, etc), podemos variar essas órbitas (distâncias angulares) para menos.

A conjunção é um dos aspectos mais fortes num mapa natal. Dessa forma, se uma pessoa tem, por exemplo, uma conjunção Mercúrio/Marte no mapa natal, planetas da comunicação e da energia respectivamente, sua comunicação tende a ser mais vigorosa e direta ao ponto e, muito provavelmente, sua energia tende a ser bastante inquieta. Tendo isso em mente, vamos supor que essa conjunção está em Câncer. O modo impulsivo e direto de se comunicar também vai ter como característica um lado mais emocional desse signo. Se estiver em Virgem, por exemplo, o modo de se comunicar tende a ser mais crítico, mas também muito analítico e perspicaz, e assim por diante. Entende como a conjunção atua de maneira diferente dependendo dos planetas envolvidos e dos signos em que estão?

Agora você deve estar se perguntando, mas a conjunção é algo bom ou ruim? Podemos dizer que esse aspecto é neutro, já que é completamente natural que haja a junção dessas energias. No entanto, para descobrir se ela é favorável ou desafiadora é fundamental avaliar os planetas envolvidos!

Outra dúvida muito comum envolvendo as conjunções é se elas podem ocorrer em signos diferentes. A resposta é sim, mas dizemos que ela não é tão atuante quando comparada às conjunções que normalmente ocorrem em signos iguais.

Ao analisarmos um mapa natal é possível que haja, ainda, uma conjunção com mais de dois planetas. Esse aspecto indica normalmente um modo muito específico daquela pessoa se manifestar, um traço extremamente marcante e até uma vocação.

Para finalizarmos, destaco que os aspectos existem e devem ser levados em consideração; sem dúvida alguma. Porém, mais do que isso, você é livre para escolher diariamente como deseja vivê-los!

As conjunções fazem parte do Novo Curso de Astrologia que vem sendo desenhado por mim com muito carinho e dedicação. Ficou curioso para saber mais? Fique de olho, porque logo, logo, você vai poder conferir muitas novidades lá no site >>> http://ciadosastros.com.br/ 


Céu de Dezembro

Novembro terminou bem e isso reflete no começo do mês de Dezembro! Vênus em sextil a Marte do dia 1º ao dia 05/12 vai proporcionar momentos excitantes aos pares românticos e também a quem estiver só. Quem estiver sozinho pode conhecer gente bem interessante, mas atenção: se este for o seu caso, vá à luta! Não vale ficar em casa incomunicável, viu? 

No mesmo período, Mercúrio recebe influência positiva de Plutão (de 02/12 a 03/12), favorecendo todo tipo de diálogo com pessoas poderosas. Além disso, é um momento positivo para investigar questões mais profundas, como as causas das coisas ou aquilo que estava oculto e passou batido. 

Na tarde do dia 02/12, Júpiter entra no signo de Capricórnio e fica lá até Janeiro de 2020. Em astrologia isso significa que ele está em queda, ou seja, não tão magnânimo como de costume. Por outro lado, esse posicionamento pode favorecer a prática de rituais tradicionais e a busca por maior status e reconhecimento, desde que haja merecimento. 

A seguir, entre os dias 08/12 e 09/12, Netuno forma um doce sextil a Vênus. Esse período gera uma ar positivo de romance e encantamento. No entanto, o mesmo Netuno quadra ao Sol entre os dias 07/12 e 09/12. Isso faz com que haja uma confusão entre o que é real e imaginário. A dica é manter os pés no chão para não se arrepender depois! 

De 09/12 a 29/12, Mercúrio passa pelo signo de Sagitário. O período favorece as viagens e toda produção intelectual e filosófica. Por outro lado, fica mais fácil se perder numa miríade de informações e ideias. É importante privilegiar a objetividade e evitar os excessos! 

Vênus recebe dois aspectos antagônicos de 10 a 12/12. Fica conjunto a Saturno, esfriando um pouco a vida social no sentido de cada um escolher criteriosamente com quem se relaciona, mantendo uma cautelosa distância. Além disso, é um período em que as pessoas preferem ser mais frias e pragmáticas ao escolher em qual reunião social ir, dependendo de quem for. Entretanto, de 12/12 a 14/12 essa conjunção se desfaz e Vênus fica junto a Plutão, trocando a seletividade e a distância saturninas pela intensidade de Plutão. Dessa forma, a tendência passa a ser diametralmente oposta, a busca passa a ser por relações sociais e afetivas de grande intensidade e erotismo! Aproveite o período, porque Marte e Netuno ficam em trígono ao mesmo tempo. O período vai oferecer o clima perfeito para o romance e a excitação. Junto a tudo isso, ainda temos Júpiter em trígono com Urano (11/12 a 19/12), o que oferece a aventura necessária para acontecimentos inesperados e fantásticos.

De 17/12 a 21/12, Marte e Saturno em harmonia vão dar uma força para tocar todo tipo de trabalho que exija esforço continuado. Por outro lado, de 19/12 a 20/12 Netuno deve atrapalhar Mercúrio, tornando a comunicação imprecisa e cheia de enganos. A dica é conferir tudo que escrever para não trocar destinatários de e-mails ou ser impreciso e mal interpretado ao se comunicar. 

Vênus passa pelo signo de Aquário do dia 20/12 a 13/01/2020, tornando as relações sociais e afetivas muito mais leves e soltas. O período é excelente para festas e atividades em grupo, já que não favorece o ciúme nem o exercício de poder e controle sobre o parceiro. Procure lidar com as situações em seus relacionamentos de forma aberta e sincera, preservando o espaço do seu parceiro. O resultado, não se espante, será um sucesso!

Marte e Plutão em sextil (20/12 a 24/12), além de proporcionar energia extra para os preparativos das festas natalinas, vai facilitar muito todas as ações estratégicas e assertivas necessárias para o momento. 

Ainda antes do Natal, de 21/12 a 23/12, Vênus recebe uma quadratura de Urano. O período traz muita agitação social e imprevisibilidade às relações afetivas. A dica é não exagerar! 

O Sol muda de signo no dia 22/12, ingressando em Capricórnio até 20/01/2020. Isso vai favorecer o modo pragmático e claro de enxergar as coisas, com menos fantasias e maior dose de realidade!

No dia 26/12, às 02h13 de Brasília, ocorre um eclipse anular do Sol em Capricórnio muito positivo! Com a lunação – Lua nova – em conjunção a Júpiter, recebendo um trígono de Urano, o período promete mudanças muito positivas para os próximos meses, principalmente para os nascidos no primeiro decanato dos signos cardinais: Capricórnio (22/12 a 31/12); Câncer (21/06 a 30/06); Áries (21/03 a 30/03) e Libra (23/09 a 01/10).

Como presente adicional de fim de ano, Sol e Júpiter em conjunção de 26/12 a 28/12 vai oferecer uma boa dose de otimismo e autoconfiança. De quebra, Mercúrio faz trígono a Urano entre 30/12 a 31/12. O momento é cheio de insights e ideias geniais, aproveite para colocá-las em prática! Afinal, nada melhor para as resoluções do ano novo!

Desejamos a todos os leitores, amigos e alunos um 2020 repleto de positividade e bons aspectos oferecidos pelos astros!

A Lei das Correspondências na Astrologia

Segundo o conceito da Lei das Correspondências é possível fazer correlações que, a olhos destreinados e a quem não estuda Astrologia, podem parecer completamente sem conexão. Como, por exemplo, o que um oratório tem a ver com as possibilidades de viagens ou as chances de você vir a estudar em algum sistema filosófico diferente do que estava acostumado ou, ainda, entrar no meio acadêmico? Tudo isso tem a ver com essa lei no astrologuês!

Se em algum movimento planetário Júpiter é tocado dentro do seu mapa, todos esses assuntos surgirão de uma maneira ou de outra. É o que chamamos de efeito periférico, você não percebe de forma imediata, mas as coisas estão acontecendo ao seu redor até como um sintoma de um processo que lhe ocorre interna e externamente. 

Ao olhar para um mapa astrológico é importante lembrar que ele não fala apenas das questões psicológicas, mas também do ponto de vista mundano – aí que entra as questões periféricas, que para alguns pode parecer sem sentido ou sem poder de influência. Acontece que atingem, porque são sintomas externos de algo interno. Exemplo disso é o trânsito de Plutão, quando atinge alguns pontos cruciais do seu mapa: ascendente, Sol e Lua. Tomando isso como exemplo, o astrólogo, ao analisar o seu mapa, identifica aspectos depressivos, quadraturas e oposições difíceis. Você pode responder que não passou por situaçṍes difíceis internamente, porque não deprimiu ou perdeu alguém conhecido ou na família. Por outro lado, ao pensar melhor sobre as circunstâncias exteriores, pode acabar se recordando de vivenciar situações como: a empresa em que trabalhava ter falido, andar na rua e ver pessoas falecidas, passar por mudanças comportamentais, lidar com pessoas que tentaram forçar determinadas coisas, tudo isso pertence ao domínio de Plutão em lidar com vida e morte, grandes perdas e modificações que são irreversíveis. 

Esses efeitos periféricos são muito aplicados tanto para indivíduos quanto para situações coletivas em Astrologia mundana. O astrólogo estabelece a Lei das Correspondências, assim como é em cima é embaixo ou assim como na Terra é no Céu, e identifica determinados movimentos planetários que podem afetar coisas, objetos na sua casa e situações concretas na sua vida cotidiana, trabalho, lazer, relacionamentos e família. 

Em princípio, algumas correspondências astrológicas são:

SOL

O Sol pode corresponder a lareira da casa, porque é o centro de aquecimento do lar  e muitas vezes as pessoas giram em torno dela, como o Sol. Além disso, pode corresponder a sala da diretoria, das decisões de uma empresa; aos emblemas que as pessoas venham a receber devido a uma atitude nobre; ao ouro (metal); nas plantas, o Sol está ligado ao girassol; na casa ou outras instalações, ele está ligado ao sistema de iluminação. Logo, qualquer movimento planetário que atinja o Sol, também poderá atingir estes assuntos. 

LUA

A Lua está ligada ao ambiente em que você cozinha, ou seja, aos alimentos que nutrem a família; aos seus locais de armazenamento, a plantas e folhagens; ao leite; aos portos e embarcações. Nesta última correspondência vale a pena lembrar da semelhança no formato da lua e dos barcos (meia-lua). 

MERCÚRIO

Mercúrio está ligado aos aparelhos eletrônicos e as comunicações. Um aspecto difícil, como uma quadratura ou uma oposição dentro do mapa por um trânsito ou progressão, pode interferir no funcionamento do seu telefone ou na transmissão de rádio, por exemplo. Também corresponde a livros e aos óculos de leitura.

VÊNUS

Vênus é um planeta que pode ser associado tanto a uma caixa de maquiagem quanto a adornos, aquilo que embeleza, deixa contente, satisfeito e festivo. Os instrumentos musicais, o cantinho onde você escuta música e obras de arte, também estão dentro do circuito de correspondência de Vênus.

MARTE

Academias e aparelhos de ginástica; armas de fogo, armas de adorno (espadas); ferramentas em geral; locais de competição e motores estão dentro do circuito de correspondência de Marte. Dessa forma, se há previsão de algum trânsito danoso ou difícil em Marte, é recomendado fazer uma manutenção preventiva no seu carro, por exemplo.

JÚPITER

Lida diretamente com cavalos, oratórios, objetos religiosos, igrejas, catedrais, estradas, ônibus e outros tipos de transportes coletivos e também os pesados, caminhões, vãs. 

SATURNO 

São as estruturas, muros e pilares. Saturno também lida com a geladeira, com aquilo que esfria, que deixa congelado. Não à toa ele rege coisas frias! Roupas pretas também podem ser citadas como saturninas. O planeta também tem a ver com quedas; na história mundial é possível verificar a relação de Saturno com a queda do muro de Berlim – oposição difícil de Júpiter junto com Netuno e Urano – e também a queda das torres gêmeas, quando Saturno e Plutão estavam opostos. Em geral, isso implica sempre em um processo destrutivo para dar lugar ao novo: bom ou ruim. 

Curtiu o nosso breve resumo sobre a Lei das Correspondências? Mergulhe nesse universo riquíssimo chamado Astrologia, conheça o nosso curso >>> https://ciadosastros.com.br/


O significado das casas astrológicas: 7 a 9

Da casa 7 em diante, até a 12 (acima do horizonte), estamos falando de coisas mais públicas, enquanto nas anteriores são abordados assuntos mais íntimos. – Leia também o significado das casas astrológicas: 1 a 3 e o significado das casas astrológicas 4 a 6.

A casa 7 é oposta a casa 1, que fala do ‘eu’, o que eu decido, a minha vontade, como eu me coloco. Por isso, a casa 7 fala do outro. Numa outra perspectiva, esse outro não diz respeito aos amigos em geral, mas a uma relação mais específica. Essa relação de um para um, que estabelece um pacto ou um acordo entre duas pessoas, é a casa 7. Que tipos de pactos são esses? O namoro, o casamento, o morar juntos, a sociedade de negócios e por aí vai. Uma curiosidade estranha é que a casa 7 é tanto a casa do casamento como é a casa do inimigo declarado, porque um pacto tanto de cooperação como de agressão é um pacto, e pactos são relativos à casa 7. 

Um processo judicial, que é um litígio (a disputa entre duas pessoas) também diz respeito a casa 7. Ou seja, é o enfrentamento de dois pontos de vista diferentes. Isso, por acaso, lembrou a casa 9? Ela é, de fato, a casa da justiça, e tem a ver com as crenças e com o que é justo, mas a parte conflitual, a disputa é analisada na casa 7. 

A casa 8 é o recurso da pessoa com a qual se tem um pacto, ou em outros termos o dinheiro do companheiro. No casamento, esse recurso é a renda do marido ou esposa; na sociedade de negócios é o dinheiro do sócio e assim por diante. Para tornar mais clara a relação da casa 8 com  dinheiro, vamos chamá-la de responsável pela renda passiva. Renda passiva é todo o dinheiro ou recurso que você usa mas não te pertence de fato, ou que você usa mas não trabalhou por ele (por exemplo, empréstimos, financiamentos, dívidas, heranças, impostos a pagar e até o dinheiro do cônjuge ou do sócio). E a casa 2, sua oposta, diz respeito ao dinheiro que você trabalhou para conquistar ou pelos seus recursos pessoais. 

Pensão e aposentadoria também são casa 8; o trabalho foi feito no passado, mas não é feito mais no presente. É o dinheiro que veio por uma condição ligada a terceiros, ao outro. A casa 8 tem a ver também com informações ocultas, aquilo que está escondido, e também com recursos intangíveis, como segredos. Pessoas que têm a casa 8 muito predominante geralmente possuem interesse por mistérios ou conseguem descobrir determinadas coisas que ficaram ocultas dos outros. Mexer com ocultismo e poderes ocultos também diz respeito a casa 8.  

Você também deve lembrar que a casa 8 tem a ver com situações extremas, ou seja, uma quase morte. Situações limite ou crises, pela analogia com Escorpião – signo de extremos – são também casa 8. Enquanto a casa 6 é uma doença crônica, a casa 8 é uma doença aguda, é aquela que exige uma resolução imediata. Tudo ou nada!

Para finalizar, a casa 9 é uma casa de elevação ao ponto máximo (rumo ao meio do céu). Portanto você está em processo de elevação e aprimoramento para chegar ao ápice, que é a casa 10. Tudo que amplia os horizontes e a visão de mundo é relacionado à casa 9. O processo de ampliação envolve diversas questões, como crenças, religião, filosofia, ética, justiça, que são pontos cruciais de direcionamento até o ponto mais alto do mapa. Ela também é ligada ao que é distante da sua origem, já que o contato com culturas diferentes da sua, amplia sua visão de mundo em relação às pessoas e a humanidade. E pelo lado da justiça, da ética e da filosofia, é a casa das grandes verdades universais. 


Curtiu esse conteúdo? Fique de olho nos próximos posts e conheça o nosso Curso Online de Formação em Astrologia: https://ciadosastros.com.br/

Página 2 de 15